Kassab deixa caixa cheio mas desafio é dívida de R$35bi

segunda-feira, 23 de junho de 2008 16:27 BRT
 

Por Carmen Munari

SÃO PAULO (Reuters) - A prefeitura de São Paulo está com as contas em alta. Aumentou fortemente a arrecadação de impostos, registrará sobra de caixa até o final da atual gestão mas se debate com a elevada dívida pública do município, herdada de gestões anteriores e que ficará como desafio para a próxima administração.

Apesar de estar sendo paga em dia, a dívida com a União, negociada pelo ex-prefeito Celso Pitta (1997-2000), atinge 35 bilhões de reais e, na hipótese calculada pela prefeitura, deve chegar a 50 bilhões de reais em 2030, que seria a data final da renegociação. O salto é reflexo de juros e correção monetária.

Ao apresentar o desempenho financeiro, a gestão Gilberto Kassab (DEM) fez críticas à performance da prefeita petista Marta Suplicy (2001-2004). Kassab e Marta serão adversários na disputa pelo próximo mandato nas eleições de outubro.

No primeiro ano da atual gestão, José Serra (PSDB), que deixou a prefeitura para o vice Kassab em 2006 ao se candidatar ao governo do Estado, elevou a arrecadação para 15 bilhões de reais, superando os 13,1 bilhões de 2004, último da gestão anterior.

No ano seguinte, atingiu 17,1 bilhões de reais e no ano passado alcançou 19 bilhões de reais. Em relação ao primeiro ano, a receita de 2007 teve crescimento real de 17,7 por cento. Para este ano a previsão é de 21 bilhões de reais, que seria um recorde para a cidade.

"Aumentamos a arrecadação sem criar impostos, ampliando a base de arrecadação e a fiscalização", disse à Reuters Walter Aluísio Moraes Rodrigues, secretário municipal de Finanças.

Segundo Rodrigues, a administração Marta deixou 750 milhões de reais em contas a pagar para 2005, o que foi negociado com os credores e parcelado pela Prefeitura. Também criou taxas.

O secretário ressalta que a prefeitura chegou a esses patamares de receita mesmo tendo extinto a taxa do lixo, que rendia 250 milhões de reais por ano, e reduzido a incidência da taxa de luz junto a moradores que não tenham iluminação pública.   Continuação...