October 23, 2007 / 2:12 PM / 10 years ago

ATUALIZA-Economia aquecida faz venda de aço saltar 18% no Brasil

3 Min, DE LEITURA

(Texto atualizado com mais informações e declaração de analista)

Por Denise Luna

RIO DE JANEIRO, 23 de outubro (Reuters) - As vendas de aço no mercado brasileiro subiram 18 por cento no mês de setembro na comparação com igual período do ano anterior, com forte impulso dos setores automobilístico, de maquinário e construção civil, informou nesta terça-feira o Instituto Brasileiro de Siderurgia.

Com a produção de aço brasileira no mesmo período registrando um crescimento de 4 por cento, para 2,9 milhões de toneladas, as siderúrgicas estão reduzindo exportações pela metade para conseguir atender o mercado interno, informou o IBS.

Impulsionadas pelo aço plano, utilizado bastante na indústria automobilítica, as vendas no mercado interno atingiram 1,7 milhão de toneladas em setembro. O setor agrícola, com máquinas para a expansão de culturas como cana, também colaborou para o avanço na demanda.

As vendas de aço plano subiram 16,9 por cento, chegando a 1 milhão de toneladas.

"Este aumento reflete principalmente o aquecimento no setor automotivo, o desempenho positivo de máquinas e implementos agrícolas face à expansão da cultura de cana-de-açúcar, café e cítricos, além do crescimento da construção e expansão de novas plantas industriais, e da gradativa retomada do setor naval", detalhou o IBS em comunicado.

As vendas de aços longos, utilizados principalmente na construção civil, acompanharam o forte crescimento do setor imobiliário e subiram 19,6 por cento em setembro em relação há um ano.

Para o analista de siderurgia do ABN Amro Pedro Galdi, os números estão dentro do esperado pelo mercado, já que a indústria automobilística tem se mostrado crescente e o setor agrícola está aquecido.

"Geralmente a siderurgia cresce o dobro do PIB (Produto Interno Bruto) e estamos vendo crescer um pouco mais que isso, porque temos fatores como o crédito, que estimula o consumo", afirmou Galdi à Reuters.

Ele observou que as siderúrgicas ganham mais vendendo para o mercado interno do que para fora do país, e portanto a queda de exportações é um fator positivo para o setor.

"O preço praticado no Brasil é mais alto do que o de exportação, vamos ver muito isso agora, de voltar a produção para o mercado interno", avaliou Galdi.

As vendas externas de produtos laminados registraram queda de 49,3 por cento em setembro, de acordo com o IBS.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below