BC dobra previsão de aplicação estrangeira em ação e renda fixa

segunda-feira, 23 de junho de 2008 15:52 BRT
 

BRASÍLIA, 23 de junho (Reuters) - O Banco Central mais do que dobrou sua projeção para investimentos estrangeiros em renda fixa e ações no Brasil em 2008, diante da expectativa de mais ingressos a partir da concessão de grau de investimento ao país.

O previsão do BC é de que essas aplicações alcancem 25 bilhões de dólares até dezembro, ante estimativa anterior de 12 bilhões de dólares, segundo números divulgados nesta segunda-feira.

Apesar da elevação, a estimativa continua bem abaixo dos 40 bilhões de dólares que ingressaram no país por meio desses investimentos em 2007 --ano em que o país teve volume recorde de ofertas iniciais de ações na Bovespa (IPO).

"A gente já sabia que em 2008 os IPOs não se manteriam na mesma magnitude", afirmou o chefe do Departamento Econômico do BC, Altamir Lopes. "Mas o principal (impacto) foi o da cobrança do IOF sobre a renda fixa."

O governo passou a taxar investidores em renda fixa não-residehtes com uma alíquota de 1,5 por cento de Imposto sobre Operações Financeiras em meados de março.

Na avaliação do BC, os ingressos de 2007 já antecipavam em boa medida a expectativa da melhora da nota do Brasil pelas agências de classificação de risco, mas o grau de investimento abriu as portas para a entrada de aplicações de fundos de pensão que só podem investir em países considerados de baixo risco.

"Esse fluxo de portfólio vai se direcionar mais para o mercado de ações do que para a renda fixa, essa é a nossa impressão", acrescentou Lopes.

De janeiro a maio, os investimentos em papéis domésticos de longo prazo e ações totalizaram 12,719 bilhões de dólares, frente a 13,333 bilhões de dólares no mesmo período de 2007.

(Por Isabel Versiani; Edição de Daniela Machado)