Senado arquiva representação contra Azeredo, adia nova de Renan

terça-feira, 23 de outubro de 2007 14:01 BRST
 

BRASÍLIA, 23 de outubro (Reuters) - A Mesa Diretora do Senado decidiu nesta terça-feira não enviar ao Conselho de Ética a sexta representação contra o presidente licenciado Renan Calheiros (PMDB-AL) e arquivar o pedido de cassação do senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG).

A decisão de suspender a nova representação contra Renan, referente à acusação de que teria destinado emenda parlamentar a empresa fantasma, foi apertada. Três integrantes da Mesa foram favoráveis à paralisação do processo, dois queriam a investigação imediata e dois defenderam o não encaminhamento ao Conselho de Ética.

"A decisão da Mesa não significa arquivamento", afirmou o presidente interino do Senado, Tião Viana (PT-AC). "O Conselho de Ética precisa examinar cinco representações antes. Conforme o Conselho for decidindo as outras representaçõees, podemos voltar a nos reunir e encaminhar essa propostra se for o caso", acrescentou.

Já no caso de Azeredo, a representação por seu suposto envolvimento no chamado mensalão mineiro --que seria o uso de caixa 2 em sua campanha à reeleição para o governo de Minas Gerais, em 1998-- foi definitivamente arquivada.

A Mesa decidiu não admitir a representação por ser relativa a fatos que aconteceram antes de Azeredo se tornar senador.

"O Conselho é de ética parlamentar. Se o senador não era parlamentar na época dos fatos, o Conselho não pode examinar o caso", argumentou Osmar Dias (PSDB-PR).

Em sua reunião, a Mesa também decidiu abrir mão da prerrogativa de acolher ou não os processos contra senadores, questão que será examinada em plenário.