23 de Novembro de 2007 / às 13:53 / em 10 anos

Dia mais quente de compras nos EUA tem início gelado

<p>Consumidores fazem fila diante da Disney Store na California. A temporada 2007 de compras de fim de ano come&ccedil;ou nos Estados Unidos com uma multid&atilde;o de consumidores correndo atr&aacute;s das primeiras promo&ccedil;&otilde;es em um dos dias de compras mais movimentados do ano. 23 de novembro. Photo by Phil Mccarten</p>

NOVA YORK (Reuters) - A temporada 2007 de compras de fim de ano começou nesta sexta-feira nos Estados Unidos com uma multidão de consumidores, muitos enfrentando um frio agudo, correndo atrás das primeiras promoções em um dos dias de compras mais movimentados do ano.

Analistas, entretanto, esperam vendas moderadas, já que os consumidores enfrentam a desaceleração do mercado imobiliário, uma crise de crédito, a alta dos preços dos combustíveis e dos alimentos e a incerteza quanto a seus empregos.

O Palisades Mall, que fica em West Nyack, subúrbio de Nova York, abriu as portas às 3h da manhã. Filas se formaram do lado de fora das lojas da Apple, Macy's, Old Navy e Circuit City . Muitos consumidores eram abastecidos por cafés oferecidos de graça.

Conhecida como "Black Friday" (Sexta-Feira Negra), o dia após o feriado de Ação de Graças marca o início da temporada de compras de fim de ano para muitos consumidores e é o momento de conseguir pechinchas, brindes e vendas.

A "Black Friday" costumava ser o dia de compras mais movimentado do ano, mas a demora de uns e a espera de outros para comprar presentes no último minuto transferiram esse título para o sábado antes do Natal.

O fim de semana de Ação de Graças pode representar até 10 por cento das vendas de toda a temporada, de acordo com a analista de varejo Dana Telsey, da Telsey Advisory Group. Já os últimos 10 dias antes do Natal podem representar 40 por cento do total, disse.

Em uma loja da Best Buy em Geneva, no Estado de Illinois, cerca de 150 pessoas fizeram fila em meio ao frio intenso --que, de acordo com alguns veteranos de "Black Fridays", era o pior que já tinham visto. Eles também falaram que a quantidade de pessoas era menor que em anos anteriores.

Adam Wishne, estudante de 19 anos de Geneva, era o primeiro da fila, junto com dois amigos. Eles montaram uma barraca às 10h de quarta-feira.

"Apesar da barraca, estamos congelando na maior parte do tempo desde que chegamos", disse Wishne. "Mas valeu a pena pelas grandes ofertas que conseguimos... Esses vão ser presentes excelentes", contou.

A Federação Nacional do Varejo espera que o total de vendas da temporada de fim de ano, incluindo novembro e dezembro, suba 4 por cento em 2007, para 474,5 bilhões de dólares.

Isso representaria o menor crescimento de vendas de final de ano desde 2002, quando o avanço foi de 1,3 por cento, e também ficaria abaixo da média dos últimos 10 anos, de 4,8 por cento de alta.

Por Martinne Geller; Reportagem adicional de Justin Grant e Franklin Paul em Nova York e Nick Carey em Chicago

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below