Varig renovada considera incluir Airbus em frota maior

terça-feira, 23 de outubro de 2007 21:09 BRST
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A Varig poderá voar no futuro com aviões da Airbus, afirmou nesta terça-feira o presidente da Gol Linhas Aéreas, Constantino de Oliveira Jr. Atualmente, a companhia opera modelos da Boeing em destinos nacionais e internacionais.

"Estudamos, sim, a renovação da frota com 787 (da Boeing) e/ou A350, que é o avião compatível da Airbus. Entendemos que este é o avião ideal para nossas operações", afirmou o executivo a jornalistas.

O executivo fez o lançamento da nova identidade visual da Varig, que passou a adotar também a cor laranja, da Gol, em seus aviões, uniformes e serviços. Numa estratégia de expansão da empresa que já foi ícone do transporte aéreo de passageiros no país, a Varig pretende ampliar em 65 por cento o quadro de funcionários, superando os 4.000 no final de 2008.

O presidente da Gol anunciou a retomada do cronograma de vôos internacionais da Varig para este ano, atendendo exigências da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). A companhia voltará a fazer vôos para Londres em 28 de outubro, Cidade do México em 15 de novembro, Santiago em 21 de novembro, Montevidéu, 27 de novembro e Madri, a partir de 11 de dezembro.

A previsão é que a Varig encerre 2007 com 10 aeronaves 767 300 e cinco aviões 737 800. "Estamos buscando leasings operacionais que serão usados parte para renovação da frota e parte para ampliação da frota", disse Constantino. Para 2008, a previsão é que a Varig tenha uma frota de mais de 30 aviões.

Segundo Constantino, os aviões A350 da Airbus estarão disponíveis no mercado a partir de 2015 e o modelo 787 da Boeing tem entregas previstas para 2016.

"Diante disso, estamos em fase de entendimento com os fabricantes para melhor compreender as vantagens e virtudes em relação a um ou outro (modelo)", disse o executivo. "Isso não compromete o conceito de frota padronizada, pois iríamos trocar o 767 (da Boeing) por um dos dois aviões (novos) no futuro, estamos em período de análise."

Constantino informou que ainda está sendo avaliado eventual fechamento de capital da Gol. "A situação está aberta e estamos em fase de análise", disse o executivo.

Em setembro, o controlador da Gol, o Fundo de Investimento Asas, informou que estudava alternativas para sua participação, incluindo uma recompra de ações ou uma oferta pública para fechar o capital da empresa.

O executivo descartou ainda eventual lançamento de ações da Varig em bolsa. "Não trabalhamos com a possibilidade de abrir capital das subsidiárias."

(Por Rodrigo Viga Gaier)