BC inglês fica dividido entre alta, corte e manutenção do juro

quarta-feira, 23 de julho de 2008 07:41 BRT
 

Por Sumeet Desai e Matt Falloon

LONDRES, 23 de julho (Reuters) - Um diretor do Banco da Inglaterra queria aumentar o juro neste mês, outro defendeu um corte, mas os demais sete dirigentes decidiram manter a taxa, já que as perspectivas tanto da inflação, quanto do crescimento econômico pioraram.

De acordo com a ata da reunião dos dias 9 e 10 de julho, divulgada nesta quarta-feira, o diretor Timothy Besley votou por um aumento imediato de 0,25 ponto percentual da taxa de juro, para 5,25 por cento, enquanto David Blachflower defendeu um corte, para evitar uma recessão.

Essa foi a primeira vez desde maio de 2006 que a decisão tomada pelo Banco Central britânico apresentou três caminhos distintos.

Analistas esperavam um placar de 8 a 1, sendo o voto dissidente de Blachflower, favorável a um corte.

De qualquer maneira, os integrantes do Comitê de Política Monetária parecem estar mais inclinados a aumentar a taxa de juro para defender suas reputações de guardiões da estabilidade dos preços.

Mas eles também estão preocupados com os custos econômicos de tal movimento.

"A ata é certamente mais agressiva do que esperávamos", afirmou Philip Shaw, economista-chefe da Investec. "O comitê fez sérias considerações sobre um aperto da política monetária desta vez", acrescentou.