BOVESPA-Apoiado em Wall St e commodities, índice vira para cima

quinta-feira, 23 de outubro de 2008 13:08 BRST
 

SÃO PAULO, 23 de outubro (Reuters) - A combinação de altas mais pronunciadas em Wall Street com subida nos preços de commdodities internacionais consumia o nervosismo com os sinais de recessão global na Bolsa de Valores de São Paulo, que passava a operar no azul.

Às 13h06, o Ibovespa .BVSP avançava 0,77 por cento, para 35.338 pontos. O giro financeiro da sessão era de 1,5 bilhão de reais.

Acompanhando o desfile de novos dados decepciontantes da economia global, o índice chegou a despencado mais de 5 por cento logo nos primeiros minutos de negócios.

Pela manhã, foi divulgado que as encomendas à indústria na zona do euro caíram muito mais que o esperado em agosto, fortalecendo as expectativas de que a economia da região entrou em recessão no terceiro trimestre.

Em outra frente, o número de pedidos de auxílio-desemprego nos Estados Unidos aumentou mais que o esperado na semana passada, segundo dados divulgados também nesta manhã.

Progressivamente, no entanto, esse movimento foi sendo revertido, à medida que a caça por pechinchas levava os índices das bolsas nova-iorquinas para cima. O Dow Jones .DJI subia 2,5 por cento.

A leve alta do índice de commodities .CRB também patrocinava recuperações pontuais de algumas empresas ligadas a matérias-primas. Companhia Siderúrgica Nacional (CSNA3.SA: Cotações) subia 2,84 por cento, a 27,20 reais.

Em relatório, o UBS Pactual considerou positiva a operação em que a fabricante de aço vendeu 40 por cento de sua mineradora Namisa para um consórcio japonês por 3,12 bilhões de dólares.

A valorização do barril de petróleo para a faixa de 68 dólares também ajudava a amortecer a pressão vendedora sobre Petrobras (PETR4.SA: Cotações), que exibia leve alta de 0,47 por cento, para 23,31 reais. Vale VALE5.SA subia 0,95 por cento, para 24,33 reais.

(Reportagem de Aluísio Alves; Edição de Vanessa Stelzer)