Polícia Federal prende funcionário do Credit Suisse

quarta-feira, 23 de abril de 2008 19:52 BRT
 

Por Elzio Barreto

SÃO PAULO (Reuters) - A polícia brasileira prendeu nesta quarta-feira um funcionário do Credit Suisse com acusações de que ele teria oferecido serviços bancários privados no país sem a licença do Banco Central em operação para combater a transferência ilegal de dinheiro para fora do país.

Autoridades prenderam o funcionário no Rio de Janeiro após segui-lo por quase 10 dias em São Paulo, afirmou a Polícia Federal em comunicado. A polícia identificou o funcionário como um "alto executivo" com as iniciais P.C.W.

A polícia disse nesta quarta-feira que o Credit Suisse continuava a oferecer serviços de private banking no Brasil mesmo após fechar seus escritório de representação no país. Executivos do banco suíço voam periodicamente para o Brasil para contatar clientes diretamente e conquistar novos clientes.

Em nota no início da noite, o Credit Suisse afirmou que suas operações estão "dentro dos mais rigorosos princípios legais e éticos".

A instituição afirmou ainda que a representação no Brasil "atua de forma legal e de acordo com a legislação nacional" e esclarece que seu "escritório de representação e o Banco de Investimentos Credit Suisse Brasil e suas subsidiárias são independentes e não relacionados".

O Credit Suisse liderou o ranking de emissões de ações no país em 2007.

A Polícia Federal tem fechado o cerco para combater a tranferência ilegal de dinheiro no últimos anos, investigando bancos internacionais que supostamente ajudam brasileiros a livrar-se dos impostos.

Em 2006, a polícia invadiu escritórios do Credit Suiss em São Paulo, e a casa de quatro de seus executivos como parte da operação chamada "Operação Suíça". A polícia afirmou que a detenção nesta quarta-feira está relacionada à investigação de 2006.

No ano passado, a polícia prendeu 20 pessoas, incluindo funcionários do banco UBS, da unidade do Credit Suisse Clariden e AIG Private Bank. Até este momento, a polícia acredita que o esquema já ajudou brasileiros a sonegarem 1 bilhão de reais com tranferências ilegais de dinheiro para fora do país.

Diversos brasileiros com contas numeradas no Credit Suisse foram identificados e serão investigados por autoridades brasileiras, disse a Polícia Federal.