China se junta ao Banco Inter-Americano de Desenvolvimento

quinta-feira, 23 de outubro de 2008 21:07 BRST
 

WASHINGTON, 23 de outubro (Reuters) - A China se tornou nesta quinta-feira membro do Banco Inter-Americano de Desenvolvimento (BID), o maior concessor de empréstimos para a América Latina, em um momento em que o comércio e o investimento entre o gigante asiático e a região está florescendo.

O presidente do BID, Luis Alberto Moreno, disse que a China planeja contribuir com 350 milhões de dólares para o banco como doadora. O dinheiro será dividido entre vários fundos que emprestam para projetos econômicos e desenvolvimento em países da América Latina e do Caribe.

A China se tornou o segundo maior parceiro comercial da região, atrás apenas dos Estados Unidos. O comércio entre a China e América Latina subiu 13 vezes desde 1995, para 110 bilhões de dólares em 2007.

"Enquanto a América Latina enfrenta choques da crise de liquidez, estamos trabalhando com os governos para projetar o crescimento e os gastos sociais", disse Moreno.

A China também se tornou um importante consumidor de exportações de commodities de países da Ásia, África e América Latina, mas existem preocupações de que, havendo menor demanda das grandes economias, o crescimento nessas regiões pode ser afetado.

Moreno disse à Reuters que muitas economias latino-americanas começaram a admitir níveis menores de crescimento, enquanto o ritmo da expansão global foi atingido pela crise financeira.

"As economias latino-americanas foram bastante resistentes por quase um ano desde que a crise começou, mas desde julho as coisas começaram a mudar um pouco", disse. "Há pressões para baixo nos preços de commodities e isso certamente terá um impacto no crescimento da América Latina", acrescentou.

(Reportagem de Lesley Wroughton)