BOVESPA-Petróleo e Wall St pesam e índice opera sem tendência

segunda-feira, 23 de junho de 2008 11:54 BRT
 

SÃO PAULO, 23 de junho (Reuters) - Após esboçar forte recuperação na abertura, a Bolsa de Valores de São Paulo perdia força e passava a operar com leve ganho, amparada em Petrobras e Vale.

Depois de alternar alta e queda, às 11h53 o Ibovespa .BVSP apontava valorização de 0,1 por cento, aos 64.679 pontos. O giro financeiro era de 963 milhões de reais.

De um lado, as blue chips Petrobras e Vale contribuíam com pontos positivos para o índice. As ações preferenciais da estatal (PETR4.SA: Cotações) avançavam 1,83 por cento, a 43,91 reais; enquanto as preferenciais da mineradora Vale (VALE5.SA: Cotações) subiam 1,39 por cento, cotadas a 47,40 reais.

Os papéis da Petrobras acompanhavam a evolução do petróleo, cujo barril CLc1 subia para a casa dos 136 dólares, depois de a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) ter frustrado o mercado, que aguardava o anúncio de um aumento da produção para conter a escalada de preços da commodity.

Já a Vale também seguia o otimismo internacional com o setor, depois do anúncio de que a Baosteel (600019.SS: Cotações), maior siderúrgica da China, concordou em pagar até 96,5 por cento a mais pelo minério de ferro em 2008, em um contrato com a mineradora australiana Rio Tinto RIO.L(RIO.AX: Cotações).

Esse otimismo, no entanto, encontrava um contraponto nos setores financeiro, de siderurgia e entre as operadoras de telefonia. Em destaque, as ações preferenciais da Vivo VIVO4.SA caíam 1,90 por cento, a 10,30 reais.

Segundo operadores, esse movimento reflete investidores temerosos com o cenário de inflação. A pesquisa semanal do Banco Central com instituições financeiras, divulgada pela manhã, revelou novo aumento na projeção de alta de preços em 2008. Segundo o relatório Focus, a expectativa média de alta do IPCA neste ano subiu de 5,8 por cento para 6,08 por cento.

"O noticiário de inflação ainda está pesando nos negócios", disse Luiz Roberto Monteiro, assessor de investimentos da corretora Souza Barros.

Fora do índice, o destaque eram as ações ordinárias da construtora Agra AGIN3.SA, com um salto de 36,43 por cento, a 8,80 reais. A Cyrela (CYRE3.SA: Cotações) maior incorporadora imobiliária do país, anunciou na sexta-feira à noite um acordo de troca de ações para a incorporação da Agra. A combinação cria uma empresa com banco de terras com potencial de venda de 30 bilhões de reais, informaram as empresas.

(Reportagem de Aluísio Alves; edição de Cláudia Pires)