Alimentos aliviam e IPCA-15 sobe 0,63% em julho

quinta-feira, 24 de julho de 2008 09:41 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A inflação medida pelo IPCA-15 desacelerou mais que o esperado em julho, uma boa notícia para o Banco Central, que decidiu na véspera elevar a taxa básica de juro para 13 por cento, numa tentativa de combater a contínua alta dos preços.

De acordo com dados divulgados nesta quinta-feira, a inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15) registrou alta de 0,63 por cento no mês, seguindo o avanço de 0,90 por cento em junho, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O dado ficou abaixo das estimativas do mercado, que esperava uma alta de 0,67 por cento em julho, de acordo com pesquisa feita pela Reuters.

"Apesar de continuar a ser responsável pela maior parte do índice mensal, o grupo Alimentação e bebidas apresentou desaceleração na taxa de aumento de preços", afirmou o IBGE em comunicado.

Os preços do grupo tiveram alta de 1,75 por cento, frente ao avanço de 2,30 por cento no mês passado. Ainda assim, os alimentos foram responsáveis por 63 por cento do IPCA-15 de julho.

No ano, o índice acumula elevação de 4,33 por cento. Nos últimos 12 meses, o avanço acumulado foi de 6,30 por cento.

O IPCA-15 é tido como uma prévia do IPCA, o índice que serve de referência para a meta de inflação do governo.

A metodologia de cálculo é a mesma, apurando a variação de preços para famílias com renda de até 40 salários mínimos em 11 regiões metropolitanas do país. A diferença está no período de coleta, já que o IPCA mede o mês calendário.

(Por Rodrigo Viga Gaier)   Continuação...