Inflação abate consumidor, indústria segue otimista

quinta-feira, 24 de abril de 2008 14:20 BRT
 

SÃO PAULO/RIO DE JANEIRO (Reuters) - A preocupação com o impacto da inflação de alimentos sobre a trajetória dos juros e o ritmo da economia derrubou a confiança do consumidor brasileiro em abril. O humor do empresário, por outro lado, continuou positivo e indicando maiores investimentos, segundo pesquisas divulgadas na quinta-feira.

A Fundação Getúlio Vargas (FGV) informou que seu índice relativo ao consumidor caiu 7 por cento sobre março, para 112,4 pontos, registrando a pior leitura desde setembro do ano passado. Já em relação a abril de 2007, houve alta de 6,3 por cento.

"Em grandes linhas, a dinâmica da economia brasileira está sendo captada pelo consumidor. Inflação mais alta com impacto nos juros provoca uma desaceleração da economia", disse o economista da FGV, Aloisio Campelo.

Já a Confederação Nacional da Indústria (CNI) disse que seu indicador de confiança do empresário industrial aumentou pelo quarto trimestre seguido em abril e teve a melhor leitura desde janeiro de 2005.

A alta foi de 2,6 pontos percentuais sobre abril de 2007, para 62,0 pontos, e de 0,2 ponto contra janeiro, data do levantamento anterior.

"A elevada confiança dos empresários industriais reflete o bom desempenho da economia, segundo a pesquisa. Mais importante, no entanto, é que o resultado indica a manutenção da disposição dos empresários em investir e em aumentar a produção de suas empresas", disse a CNI em nota.

COMPONENTES

Na pesquisa da FGV, o componente de percepção dos consumidores sobre a situação atual declinou 5,9 por cento mês a mês. O de expectativas caiu 7,5 por cento.

A previsão de inflação subiu de 5,9 por cento na média de março para 6,3 por cento em abril.   Continuação...