Lula pretende visitar Fidel em novembro, diz fonte

quarta-feira, 24 de outubro de 2007 19:23 BRST
 

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva pretende visitar seu colega cubano Fidel Castro em novembro, numa viagem cujo objetivo é reforçar a cooperação do Brasil com a ilha comunista.

A visita, que ainda não tem confirmação oficial, seria a primeira de Lula a Havana desde sua reeleição em 2006 e a segunda desde que chegou à Presidência em 2003, quando assinou com Fidel acordos de cooperação nas áreas financeira, agrícola e turística.

O líder cubano, que se afastou temporariamente do poder após uma doença não revelada, compareceu à posse de Lula em 1o de janeiro de 2003.

"A visita a Cuba é altamente provável", disse uma fonte do governo à Reuters sob a condição de não ter seu nome revelado.

Havana seria a última escala de uma viagem de Lula que incluirá também visitas ao Haiti e à República Dominicana.

A possível visita de Lula a Cuba vem a público no mesmo dia em que o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, afirmou que sua política em relação a Havana é a de buscar "liberdade" e não estabilidade para a ilha.

No primeiro discurso exclusivamente sobre Cuba desde outubro de 2003, o presidente norte-americano disse que os EUA não reconhecerão o governo de Raúl Castro, irmão de Fidel, a quem o líder cubano transferiu o poder após ficar doente, em julho do ano passado.

Lula tem mantido boas relações com Bush, com quem compartilha interesses, especialmente no setor de biocombustíveis.

O presidente brasileiro, no entanto, nunca deixou de lado sua política de amizade em relação a Cuba, e sua diplomacia propôs um diálogo entre a ilha e a "família latino-americana", da qual Havana ficou distante quando foi excluída da Organização dos Estados Americanos (OEA), em 1962.

 
<p>O presidente Luiz In&aacute;cio Lula da Silva pretende visitar seu colega cubano Fidel Castro em novembro, numa viagem cujo objetivo &eacute; refor&ccedil;ar a coopera&ccedil;&atilde;o do Brasil com a ilha comunista. Foto de Lula em Bras&iacute;lia, 23 de outubro. Photo by Jamil Bittar</p>