Acordo livra ex-secretário do PT do processo do mensalão

quinta-feira, 24 de janeiro de 2008 17:41 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - O ex-secretário-geral do PT, Silvio Pereira, deixou de ser réu no processo do mensalão ao fazer um acordo com a Procuradoria-Geral da República (PGR) para prestar serviços comunitários.

Com o acordo, Pereira terá que fazer uma carga horária equivalente a três anos de serviço comunitário e se apresentar mensalmente perante um juiz.

"Fiz 24 anos de trabalho voluntário. Não vai ser agora que isso vai me afetar", disse um sorridente Pereira a jornalistas na saída da 2a Vara Criminal Federal.

Ao longo dos três anos da pena, Silvio Pereira não poderá exercer cargo público nem concursado. O processo fica suspenso por três anos e só ao final ele deixa definitivamente de ser réu. Durante a pena, ele pode voltar a ser réu, por exemplo, se deixar de se apresentar ao juiz.

Silvio Pereira disse que gostaria de se dedicar à gastronomia durante o tempo de trabalho fixado pela Justiça, mas a atividade que terá que cumprir ainda não foi definida.

"Agora eu espero que vocês me deixem em paz um pouco porque eu já sou notícia velha", completou Pereira que evitou falar sobre a acusação de receber um carro Land Rover de uma empresa que prestava serviços à Petrobras, caso que não consta do processo do mensalão.

Perguntado se teria interesse de voltar ao PT, respondeu: "Não tenho nenhum entusiasmo para voltar a participar da vida partidária hoje."

A primeira proposta da PGR foi de quatro anos de serviço comunitário, segundo Silvio, que fez uma contraproposta e fechou a pena em três anos.

Silvio Pereira já não precisou depor no processo do mensalão, nesta quinta-feira, na 2a Vara Criminal, por conta da proposta de suspensão do processo contra ele no Supremo Tribunal Federal feita pelo procurador-geral da República, Antonio Fernando Souza.   Continuação...