Brasil pode captar no exterior se condições melhorarem

quarta-feira, 24 de outubro de 2007 15:29 BRST
 

Por Walter Brandimarte

NOVA YORK (Reuters) - O Brasil pode voltar a captar recursos no mercado internacional este ano se as condições melhorarem, mas a reabertura do bônus global com vencimento em 2017 não é prioridade neste momento, afirmou o secretário-adjunto do Tesouro Nacional, Paulo Valle, nesta quarta-feira.

"Vai depender das condições do mercado; se o mercado melhorar em novembro, nós vamos fazer", disse Valle a jornalistas, durante evento em Nova York.

Ao ser questionado se o Brasil poderia reabrir a emissão do bônus de 2017, como tem sido comentado no mercado, Valle respondeu: "Eu diria que essa não é a prioridade."

O Tesouro já vê demanda por títulos mais longos em reais no mercado local, mas prefere consolidar os vencimentos existentes, considerados com referência de mercado, acrescentou.

"Temos demanda por bônus de 20 anos e de 30 anos. Mas nosso objetivo é consolidar os de referência, então os investidores terão uma curva bastante definida para tomar decisões de investimentos."

Valle acrescentou que a pausa na flexibilização monetária, decidia pelo Banco Central neste mês, não impedirá que o Tesouro reduza a parcela da dívida do país atrelada à Selic.

"A direção (da política) segue a mesma. Vamos apenas ajustar a velocidade."