BOVESPA-Mercado opera em queda puxado por PETROBRAS e VALE

quinta-feira, 24 de abril de 2008 11:32 BRT
 

SÃO PAULO, 24 de abril (Reuters) - A Bolsa de Valores operava em queda nesta quinta-feira, puxada principalmente por fatores internos como a queda nas ações da Petrobras e da Vale, segundo avaliam operadores do mercado.

Às 11h31 o Ibovespa .BVSP caía 1,04 por cento, aos 64.269 pontos. O giro financeiro era de 1,6 bilhão de reais.

A queda no valor das ações da Petrobras (PETR4.SA: Cotações) se dá, principalmente, pelo recuo no preço do petróleo. Para alguns analistas, no entanto, apesar de manter inalterada projeção do preço da gasolina em 2008, a ata do Comitê de Política Monetária (Copom) sinaliza que "a probabilidade de se configurar um cenário alternativo" está aumentando.

"Isso também contribuiu para jogar um balde de água fria nas ações da Petrobras hoje", disse Luiz Roberto Monteiro, assessor de investimentos da corretora Souza Barros, ressaltando também a queda nos papéis da Vale (VALE5.SA: Cotações) e um pouco de realização de lucros.

As ações preferenciais da Petrobras caíam 1,9 por cento, negociadas a 83,35 reais, e as da Vale desvalorizaram 2,54 por cento aos 51,36 reais.

A maior queda da manhã era das ações da Cosan (CSAN3.SA: Cotações), que caíam 5 por cento depois do anúncio da compra dos ativos da Esso no Brasil.

Nos Estados Unidos, os principais índices de Wall Street abriram perto da estabilidade, com o recuo no preço do petróleo e a alta nas ações da Apple (AAPL.O: Cotações).

Entre os indicadores do dia no mercado norte-americano, as vendas de novas moradias caíram 8,5 por cento em marÇo ante queda de 5,3 por cento em fevereiro e atingiram a menor taxa é desde outubro de 1991.

Ainda nesta manhã, as encomendas de bens duráveis nos EUA caíram inesperadamente em março, em 0,3 por cento, em razão de uma queda no setor de transportes, mas uma medida chave do apetite de investimento corporativo se mante firme, segundo dados apresentados pelo governo nesta quinta-feira.

Os pedidos de auxílio-desemrpego também surpreenderam e caíram na última semana, em 33 mil, informou o Departamento de Trabalho.