Trichet alerta contra efeitos secundários da inflação

segunda-feira, 24 de dezembro de 2007 13:13 BRST
 

FRANKFURT (Reuters) - O Banco Central Europeu (BCE) está determinado a impedir que o aumento do petróleo e dos alimentos comece a provocar uma alta mais ampla da inflação, disse seu presidente, Jean-Claude Trichet, em entrevista publicada pelo Financial Times nesta segunda-feira.

Trichet afirmou ao jornal que a inflação nos 13 países que utilizam o euro está apontando para cima, ao mesmo tempo em que o crescimento sofre risco de desaceleração. Essa é a mesma avaliação dada quando o BCE manteve os juros a 4 por cento, ainda neste mês.

Alguns membros do BCE, porém, defenderam uma elevação dos juros mesmo com os cortes realizados por outros bancos centrais, e Trichet disse que a instituição quis evitar que o nível elevado da inflação no momento contaminasse as expectativas e disparasse uma corrida entre renda e preços.

"Eu diria que você tem que fazer um julgamento. Como você sabe, o julgamento do Conselho Diretor é de que a maior probabilidade de mudança no cenário de inflação é com a alta dos preços", afirmou, listando fatores como o petróleo e os preços das commodities.

"Acima disso, o que é decisivo são os efeitos secundários. Lá nós temos o risco, e eu fui muito claro quanto a isso no Conselho Diretor, de que nós não deixaríamos esses efeitos se materializarem, e que nós estaríamos alertas para evitar que esses efeitos se materializem".

A entrevista foi conduzida em 13 de dezembro.

(Reportagem de Krista Hughes)