Três meses depois, venda da Intelig ainda não tem data para sair

quinta-feira, 24 de abril de 2008 17:17 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - Três meses depois do anúncio de que a Docas Investimentos, do empresário Nelson Tanure, iria comprar o controle da Intelig Telecom, a transação segue na área técnica da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e não tem data para chegar ao conselho, que terá de votar a autorização do negócio.

No balanço da Docas Investimentos, publicado nesta quinta-feira no site da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a Docas informa que o acordo, firmado com a National Grid, France Telecom e Sprint -- sócias da Intelig -- em janeiro de 2008, ainda encontra-se em fase de aprovação junto à Anatel e ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

Segundo a empresa, "com esta aquisição, a companhia iniciará uma nova fase, a da incorporação de uma moderna empresa de telecomunicações a um importante produtor de conteúdo jornalístico".

Procurada, a Anatel informou, através de sua assessoria de imprensa, que o assunto ainda está sob análise de sua equipe teécnica. A equipe estuda o assunto sob o ponto de vista regulatório e encaminha um relatório ao conselho, para que coloque o pedido em votação. Em seguida, o conselho da Anatel também irá orientar o voto do Cade.

Desde que foi colocada à venda, há cerca de quatro anos, a Intelig adotou um modelo de gestão compartilhada, sem a figura de um presidente, comandada por um grupo de três gerentes delegados. Ela também deixou, desde então, de receber qualquer tipo de aporte dos sócios.

Segundo o balanço da Docas, a transação envolve "a totalidade do capital da Intelig", mas o valor do negócio não foi revelado.

(Por Taís Fuoco)