Tocha olímpica é acesa em meio a protestos pró-Tibet

segunda-feira, 24 de março de 2008 07:54 BRT
 

Por Karolos Grohmann

OLÍMPIA, Grécia (Reuters) - Manifestantes pró-Tibet tentaram protestar durante a cerimônia de acendimento da tocha olímpica de Pequim na antiga cidade de Olímpia, na Grécia, na segunda-feira.

Em uma cerimônia transmitida para TVs de todo o mundo para marcar o início dos cinco meses de revezamento da tocha, a atriz Maria Nafpliotou, interpretando uma sacerdotisa, acendeu a tocha em frente ao templo de Hera.

Mas pouco antes da cerimônia, realizada dentro de um sítio arqueológico sede das Olimpíadas na Grécia Antiga, alguns manifestantes tentaram romper o cordão de isolamento montado pela polícia.

Um deles, carregando uma faixa, conseguiu se aproximar do chefe do comitê organizador dos Jogos de Pequim, Liu Qi, durante seu discurso em frente a centenas de autoridades. O manifestante foi retirado do local sem conseguir chegar a Liu.

A polícia disse que o manifestante é um tibetano de 48 anos e que, até o momento, três pessoas foram presas.

Tibetanos exilados prometeram realizar protestos contra a repressão chinesa na região e contra o que classificam como hesitação do Comitê Olímpico Internacional (COI) para pressionar para que a China melhora seu histórico na área de direitos humanos.

A polícia disse que outros 25 manifestantes tentaram entrar no local da cerimônia, mas foram impedidos pela forte presença policial.

Liu, que se manteve calmo durante o protesto, disse: "A chama olímpica vai radiar luz e felicidade, paz e amizade, e esperança e sonhos para o povo da China e de todo o mundo". O atleta grego Alexandros Nikolaidis, medalhista de prata no taekwondo durante os Jogos de Atenas em 2004, é o primeiro a carregar a tocha durante o revezamento que passa seis dias na Grécia antes de ser entregue aos chineses em 30 de março.

"Expresso aqui a esperança de que o símbolo da tocha seja reconhecido por todos e que as circunstâncias corretas sejam criadas por onde quer que a tocha viaje, para que esse símbolo ressoe", disse o presidente do COI, Jacques Rogge. (Reportagem adicional de Dina Kyriakidou em Atenas)

(Reportagem de Karolos Grohmann)

 
<p>Tocha &eacute; acesa no ensaio para a abertura das Olimpi&aacute;das de Pequim em Ol&iacute;mpia, na Gr&eacute;cia   REUTERS. Photo by Mal Langsdon</p>