BHP fica em foco depois de reajuste recorde do minério

terça-feira, 24 de junho de 2008 08:23 BRT
 

Por Lucy Hornby e James Regan

PEQUIM/SYDNEY (Reuters) - O foco das negociações anuais sobre os preços do minério de ferro está voltado para a BHP Billiton nesta terça-feira. A questão é saber se a empresa conseguirá convencer as siderúrgicas chinesas a pagar mais que o reajuste recorde acertado pela rival Rio Tinto na véspera.

A Rio praticamente dobrou os preços do produto fornecido via contratos a termo, superando o reajuste de cerca de 70 por cento que os produtores de aço da China tinham acertado em fevereiro com a Vale . Porém, a BHP, única grande mineradora ainda em negociações com as siderúrgicas, deu indicações de que o reajuste obtido pela Rio Tinto pode não ser o bastante.

As duas mineradoras normalmente seguem o primeiro acordo de reajuste definido, mas as apostas aumentaram este ano já que o valor que elas podem obter de seus ativos de minério de ferro é considerado um fator importante na oferta de aquisição da Rio Tinto pela BHP por 167 bilhões de dólares.

O diretor da divisão de ferrosos e carvão da BHP, Marcus Randolph, afirmou na terça-feira que a Rio fracassou ao tentar obter um ágio adequado, relativo a vantagens de frete, nas negociações com a siderúrgica chinesa Baosteel. O transporte de minério de ferro da Austrália para a China custa de 55 a 60 dólares por tonelada mais barato que os embarques do Brasil, afirmou o executivo.

A BHP também elevou em 23 por cento a avaliação das reservas de sua maior operação de minério de ferro em Western Australia e informou que a divisão vai triplicar sua capacidade entre 2007 e 2015.

"Isso é uma indicação do futuro potencial desses ativos", disse Randolph.

As atenções também estão voltadas para siderúrgicas como a Baosteel, que fez um acordo de preços com a Rio e viu o preço de suas ações despencar 8 por cento nesta terça-feira por conta de preocupações com custos mais altos.

Um fracasso da Baosteel em alcançar um acordo com a BHP em reunião nesta terça-feira coloca as siderúrgicas asiáticas sob risco de reajustes ainda maiores.   Continuação...