JPMorgan negocia oferta maior por Bear Stearns

segunda-feira, 24 de março de 2008 10:21 BRT
 

NOVA YORK (Reuters) - O JPMorgan Chase & Co está negociando aumentar sua oferta de aquisição do Bear Stearns para cerca de 10 dólares a ação, em um esforço para agradar acionistas do Bear que ficaram irritados com o acordo anterior, informou uma pessoa próxima das discussões nesta segunda-feira.

Mas as conversas para elevar a oferta podem fracassar e o momento de qualquer anúncio é incerto, informou a fonte.

O acordo original do JPMorgan, anunciado em 16 de março, para pagar 2 dólares por ação do Bear foi considerado como uma venda em liquidação do banco de investimentos fundado há 85 anos. O Bear entrou em colapso depois de grandes perdas com ativos vinculados a hipotecas de alto risco e que uma queda na confiança provocou uma corrida de clientes ao banco.

As ações do Bear eram negociadas em alta de mais de 50 por cento no pregão eletrônico nesta segunda-feira, a 9,15 dólares. Os papéis fecharam na quinta-feira cotados a 5,96 dólares.

A proposta original de aquisição do Bear Stearns foi forjada com o apoio de autoridades monetárias dos Estados Unidos e o Federal Reserve é contra um preço maior, publicou o The New York Times, citando fontes envolvidas nas negociações.

O jornal afirmou que o Fed originalmente direcionou o JPMorgan a não pagar mais que 2 dólares por ação para garantir que a operação não parecesse que os acionistas do Bear estavam sendo salvos.

Representantes do Bear e do Fed não estavam imediatamente disponíveis para comentar o assunto. O JPMorgan não comentou o assunto.

Uma oferta de 10 dólares por ação avalia o Bear em mais de 1 bilhão de dólares. O preço, entretanto, é menos que um terço do preço da ação em 14 de março, o último pregão antes do anúncio do acordo original. O valor também é menos 10 por cento do preço do papel durante 2007. Jamie Dimon, presidente-executivo do JPMorgan, se convenceu de que a fusão poderia estar em risco depois que passar a maior parte da semana passada recebendo ligações de acionistas indignados do Bear, informou o The New York Times, citando pessoas próximas da situação.

Entre estes acionistas está o empresário britânico Joseph Lewis, que investiu mais de 1 bilhão de dólares em cerca de 12,1 milhões de ações do Bear, incluindo em algumas até 13 de março.

Na semana passada, Lewis afirmou que faria o que for necessário para proteger seu investimento e que poderia encorajar o Bear e terceiros a buscar outras transações.

(Por Chris Reiter)