RPT-BM&F anuncia nova venda de participação antes de IPO

quarta-feira, 24 de outubro de 2007 07:16 BRST
 

(Repete matéria publicada na noite de terça-feira)

SÃO PAULO, 24 de outubro (Reuters) - Antes mesmo da realização de sua oferta pública de ações (IPO), a BM&F anunciou na terça-feira a venda de uma segunda fatia de papéis, com a assinatura de uma carta de intenções para a formação de uma sociedade com o CME Group por meio de troca de participações.

"O CME Group vai adquirir cerca de 10 por cento das ações da BM&F SA pela quantia de 1,3 bilhão de reais, em troca de uma participação de aproximadamente 2 por cento no CME Group", afirma comunicado conjunto.

Segundo o texto, o acordo será revogado "na hipótese de não-finalização dos contratos correspondentes e de a transação de investimento não ser completada até 31 de março de 2008".

Ainda de acordo com o comunicado, o CME Group CME.N, formado pela fusão entre a Chicago Mercantile Exchange e a Chicago Board of Trade, terá poder de voto limitado a 7,5 por cento do total de ações da BM&F. A carta de intenções também prevê que as duas bolsas não poderão vender as respectivas participações por no mínimo quatro anos.

Proposta durante a reunião do conselho das duas bolsas, a carta de intenções está sujeita à assinatura dos acordos finais.

A carta de intenções prevê ainda, entre outros pontos, a criação de um grupo de trabalho para estudar o desenvolvimento de produtos conjuntos para os mercados brasileiro e latino-americano e a interligação de suas redes de distribuição de negócios visando o roteamentos de ordens envolvendo os produtos transacionados nas duas bolsas.

"O acordo será exclusivo para a BM&F nas regiões das Américas Central e do Sul. Da mesma forma, será exclusivo para a CME entre as bolsas prestadoras de serviços de roteamento de ordens para a BM&F", informa o comunicado.

No mês passado, quando anunciou seus planos para abertura de capital, a BM&F informou a venda de 10 por cento de suas ações para a General Atlantic (GA) por 1 bilhão de reais. A abertura de capital da bolsa brasileira está atualmente em análise pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).