CENÁRIOS-Serra e PT jogam preliminar de 2010 na atual eleição

sexta-feira, 24 de outubro de 2008 17:59 BRST
 

Por Fernando Exman

BRASÍLIA, 24 de outubro (Reuters) - A reta final do segundo turno das eleições municipais precipitou um embate que já remete à disputa pela sucessão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Líderes do PT e o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), passaram a ocupar o centro da arena política nacional.

Serra busca a preferência dos correligionários para se candidatar à Presidência da República pelo PSDB. O PT, por sua vez, não abre mão de indicar um candidato à sucessão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

"(Serra e o PT) já estão fazendo uma preliminar de 2010", comentou à Reuters o senador Renato Casagrande (PSB-ES), aliado do presidente Lula no Congresso e do governador de Minas Gerais, Aécio Neves, na eleição para a prefeitura de Belo Horizonte. Aécio disputa com Serra o direito de ser o candidato da oposição em 2010.

O acirramento do clima entre Serra e os petistas ocorreu depois de que ficou evidente o fortalecimento do governador de São Paulo nas eleições municipais. Apesar de Geraldo Alckmin ter se candidatado à prefeitura de São Paulo pelo PSDB, Serra patrocinou a candidatura de Gilberto Kassab (DEM), atual prefeito da cidade. Nas vésperas do primeiro turno, o democrata ultrapassou a petista Marta Suplicy (PT) e agora lidera com folga a preferência do eleitorado paulistano.

Na semana passada, a disputa entre o PT e Serra se tornou mais evidente. Um conflito entre policiais civis e militares em São Paulo provocou uma troca de acusações entre petistas e o governador.

O confronto aconteceu depois que a Polícia Militar tentou impedir o avanço de policiais civis grevistas que tentavam realizar uma manifestação em frente ao Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista.

O governador acusou o PT e aliados de estarem por trás do movimento, enquanto os petistas passaram a atacar o que chamaram de incapacidade administrativa e desrespeito a movimentos sociais de Serra.

"O PT, no desespero ante a derrota iminente na capital de São Paulo, tentou um golpe para atingir o governador Serra", disse à Reuters o deputado Antonio Carlos Pannunzio (PT-SP). "Tenho certeza que foi para desgastá-lo."   Continuação...