Governo espera dívida maior, mas "melhor" em 2008

quinta-feira, 24 de janeiro de 2008 15:41 BRST
 

Por Isabel Versiani

BRASÍLIA (Reuters) - A dívida mobiliária federal deverá fechar 2008 entre 1,48 trilhão e 1,54 trilhão de reais, segundo meta estabelecida pelo Tesouro Nacional em seu Plano Anual de Financiamento (PAF).

No encerramento de 2007, a dívida total, que inclui os vencimentos externos e domésticos, estava em 1,333 trilhão de reais, abaixo da meta estabelecida pelo Tesouro para o ano --que ia de 1,37 trilhão a 1,45 trilhão de reais.

O plano de financiamento do governo, divulgado nesta quinta-feira, mostra que o governo espera melhorar o perfil da dívida este ano, elevando os prazos dos papéis e aumentando a participação de títulos considerados melhores para o gerenciamento.

O cenário básico considerado pelo Tesouro na formulação do programa, contudo, levou em conta a "ausência de choques externos significativos" e "espaço para queda da taxa de juros", segundo o relatório divulgado à imprensa.

De acordo com o PAF, o Tesouro trabalha com a expectativa de levar a parcela de títulos prefixados para algo entre 35 e 40 por cento do total da dívida. Em dezembro, a participação desse tipo de papel ficou em 35,1 por cento, dentro da meta de 2007.

Ao mesmo tempo, o governo espera que o volume de títulos com correção pela taxa básica de juro caia para algo entre 25 e 30 por cento do total, de um patamar de 30,7 por cento alcançado em dezembro.

OUTROS TÍTULOS

No caso da dívida atrelada a índice de preços, a meta do Tesouro é continuar elevando a participação e fechar o ano entre 25 e 29 por cento do total. Esses papéis responderam por 24,1 por cento do total no fim do ano passado, frente ao objetivo de ficar entre 20 a 24 por cento.   Continuação...