RPT-Varig renovada considera incluir Airbus em frota maior

quarta-feira, 24 de outubro de 2007 07:31 BRST
 

(Repete texto publicado na noite de terça-feira)

RIO DE JANEIRO, 24 de outubro (Reuters) - A Varig poderá voar no futuro com aviões da Airbus EAD.PA, afirmou na terça-feira o presidente da Gol Linhas Aéreas (GOLL4.SA: Cotações), Constantino de Oliveira Jr.. Atualmente, a companhia opera modelos da Boeing (BA.N: Cotações) em destinos nacionais e internacionais.

"Estudamos, sim, a renovação da frota com 787 (da Boeing) e/ou A350, que é o avião compatível da Airbus. Entendemos que este é o avião ideal para nossas operações", afirmou o executivo a jornalistas.

O executivo fez o lançamento da nova identidade visual da Varig, que passou a adotar também a cor laranja, da Gol, em seus aviões, uniformes e serviços. Numa estratégia de expansão da empresa que já foi ícone do transporte aéreo de passageiros no país, a Varig pretende ampliar em 65 por cento o quadro de funcionários, superando os 4.000 no final de 2008.

O presidente da Gol anunciou a retomada do cronograma de vôos internacionais da Varig para este ano, atendendo exigências da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). A companhia voltará a fazer vôos para Londres em 28 de outubro, Cidade do México em 15 de novembro, Santiago em 21 de novembro, Montevidéu, 27 de novembro e Madri, a partir de 11 de dezembro.

A previsão é que a Varig encerre 2007 com 10 aeronaves 767 300 e cinco aviões 737 800. "Estamos buscando leasings operacionais que serão usados parte para renovação da frota e parte para ampliação da frota", disse Constantino. Para 2008, a previsão é que a Varig tenha uma frota de mais de 30 aviões.

Segundo Constantino, os aviões A350 da Airbus estarão disponíveis no mercado a partir de 2015 e o modelo 787 da Boeing tem entregas previstas para 2016.

"Diante disso, estamos em fase de entendimento com os fabricantes para melhor compreender as vantagens e virtudes em relação a um ou outro (modelo)", disse o executivo. "Isso não compromete o conceito de frota padronizada, pois iríamos trocar o 767 (da Boeing) por um dos dois aviões (novos) no futuro, estamos em período de análise."   Continuação...