Hamas vai divulgar proposta de trégua com Israel

quinta-feira, 24 de abril de 2008 12:02 BRT
 

CAIRO (Reuters) - O Hamas dirá a mediadores do Egito nesta quinta-feira que está preparado para aceitar uma trégua com Israel na Faixa de Gaza, com um cronograma para ampliá-lo à Cisjordânia, disse uma autoridade palestina envolvida nas conversas.

"A posição do Hamas é que ele concorda com uma trégua em Gaza e na Cisjordânia, mas ela começaria em Gaza neste estágio e, depois, seria aplicado na Cisjordânia, depois de um período acordado e especificado", disse a autoridade, que pediu para não ser identificada. Israel disse estar pronto para uma "tranquilidade" na fronteira com Gaza, mas que isso exigirá uma interrupção total dos ataques do Hamas contra alvos israelenses, uma paralisação dos foguetes lançados através da fronteira por parte de todos os grupos palestinos e o fim do contrabando de armas para o território, controlado pelo Hamas.

"Nós não podemos ter um período de tranquilidade que será uma calmaria apenas antes da tempestade", disse Mark Regev, porta-voz do primeiro-ministro de Israel, Ehud Olmert.

Uma delegação do Hamas liderada pelo ex-ministro do Exterior Mahmoud el-Zahar chegou ao Cairo, na quarta-feira à noite, e tem um encontro com o chefe da inteligência do Egito, Omar Suleiman, na tarde de quinta-feira, acrescentou o porta-voz Taher al-Nono.

O Hamas, que controla Gaza mas tem importantes membros vivendo na Cisjordânia, condicionou a trégua à abertura das fronteiras de Gaza e ao fim de ações militares no território, acrescentando que o grupo islâmico tinha o apoio de outras facções militantes palestinas. O Egito deve encaminhar a proposta a Israel nos próximos dias, acrescentou a autoridade palestina.

Israel afirma não estar negociando um cessar-fogo com o Hamas, mas que não haveria razões para promover ataques na Faixa de Gaza se os foguetes pararem de cair em seu território. E diz que se reserva ao direito de adotar medidas militares para proteger seus cidadãos.

O ex-presidente dos EUA Jimmy Carter, em viagem ao Oriente Médio na semana passada, tentou persuadir o Hamas a declarar um cessar-fogo unilateral. Mas o grupo negou alegando que Israel negou-se a fazer gestos similares no passado.

Dezenas de palestinos foram mortos em ataques de Israel a Gaza nos últimos dez dias. Três soldados israelenses foram mortos na fronteira com Gaza em 16 de abril.