September 24, 2008 / 12:40 PM / 9 years ago

ATUALIZA-Alimentos caem e IPCA-15 é o menor desde março

4 Min, DE LEITURA

(Texto reescrito com mais dados e comentários)

Por Renato Andrade e Vanessa Stelzer

SÃO PAULO, 24 de setembro (Reuters) - A inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15) desacelerou em setembro pelo terceiro mês consecutivo e atingiu o menor nível desde março deste ano, em razão de uma queda nos custos de alimentos.

O indicador registrou alta de 0,26 por cento no mês, seguindo o avanço de 0,35 por cento em agosto, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quarta-feira.

A mediana e a média das estimativas de 26 instituições financeiras consultadas pela Reuters apontaram uma taxa de 0,23 por cento para o indicador em setembro.

Os preços dos alimentos caíram 0,25 por cento em setembro, revertendo a alta de 0,25 por cento vista em agosto.

"A maioria dos produtos contribuiu para esse resultado, com destaque para o tomate, leite pasteurizado, batata-inglesa, feijão carioca, pão francês, óleo de soja, arroz, macarrão e feijão preto", disse o IBGE em nota.

Apesar da queda no mês, o grupo Alimentação e Bebidas ainda acumula alta de 10,52 por cento no ano, depois de ter sido impacto do salto das commodities internacionais e de problemas de oferta de interna de produtos como carnes. O salto dos alimentos foi o principal impulso de alta na inflação deste ano, um dos motivos que levou o Banco Central a apertar a política monetária.

CENÁRIO MAIS POSITIVO

A partir de junho, a situação inflacionária se amenizou e analistas acreditam que o próximo movimento da política monetária pode ser menor, com alta da Selic em 0,50 ponto percentual em outubro.

"A manutenção da trajetória cadente observada desde a leitura do IPCA de junho certamente é algo que deverá continuar ajudando a desanuviar o horizonte inflacionário, devendo provocar novas reavaliações baixistas nas projeções de inflação para este ano e para o próximo", disse em nota Jankiel Santos, economista-chefe do Bes Investimento.

O mercado de juros futuros <0#2DIJ:> na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) reagiu bem ao dado do IPCA-15 de setembro, operando em queda. O contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) janeiro de 2009, o mais negociado nesta manhã, caía de 14,08 por cento ao ano na véspera para 14,07 por cento.

O IBGE acrescentou que em setembro os preços dos produtos não alimentícios subiram 0,41 por cento, levemente acima da alta de 0,38 por cento em agosto.

No ano, o IPCA-15 acumula elevação de 4,96 por cento. Nos últimos 12 meses, o avanço acumulado foi de 6,20 por cento.

O IPCA-15 é tido como uma prévia do IPCA, o índice que serve de referência para a meta de inflação do governo.

A metodologia de cálculo é a mesma, apurando a variação de preços para famílias com renda de até 40 salários mínimos em 11 regiões metropolitanas do país.

A diferença está no período de coleta, já que o IPCA mede o mês calendário.

Edição de Alberto Alerigi Jr.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below