Auxílio-desemprego recua nos EUA; moradia é má notícia

quinta-feira, 24 de abril de 2008 12:17 BRT
 

Por Alister Bull

WASHINGTON (Reuters) - Os pedidos de auxílio-desemprego nos Estados Unidos caíram fortemente na semana passada e as encomendas de bens duráveis mostraram resistência em março, mas as vendas de novas moradias desabaram, de acordo com dados divulgados nesta quinta-feira.

As vendas de moradias recuaram 8,5 por cento no mês passado, para uma taxa anualizada de 526 mil unidades. Os preços na comparação com um ano atrás tiveram a maior queda desde 1970, informou o Departamento de Comércio.

O dado segue a leitura revisada para baixo de 575 mil unidades em fevereiro e traz mais notícias negativas sobre o setor imobiliário.

Economistas ouvidos pela Reuters esperavam que as vendas caíssem para 580 mil unidades, frente ao dado inicialmente divulgado de 590 mil em fevereiro.

"O que temos é uma divergência entre moradias usadas, que parecem estar se recuperando, e o declínio nas vendas de novas moradias, que está se intensificando", afirmou Christopher Low, economista-chefe do FTN Financial, em Nova York.

As vendas de moradias usadas também caíram em março, mas em ritmo mais brando, de 2 por cento.

Os pedidos iniciais de auxílio-desemprego diminuíram fortemente na semana passada e uma queda nas encomendas de bens duráveis em março deveu-se principalmente aos bens de transporte.

"Eles certamente não parecem ser números que indicam recessão", disse Michael Darda, economista-chefe do MKM Partners LLC, em Connecticut, referindo-se aos dados de auxílio-desemprego.referring to the jobs data.   Continuação...