Obama faz breve visita ao Muro das Lamentações

quinta-feira, 24 de julho de 2008 08:47 BRT
 

JERUSALÉM (Reuters) - O candidato democrata à Presidência dos Estados Unidos, Barack Obama, fez uma visita-surpresa ao Muro das Lamentações antes do amanhecer de quinta-feira, ao fim de uma viagem para mostrar apoio a Israel.

Obama, vestindo um solidéu judeu, colocou uma prece escrita por ele mesmo no muro e abaixou sua cabeça enquanto um rabino leu um salmo que pedia paz na cidade santa.

Um dos fiéis gritou "Obama, Jerusalém não está à venda" e "Jerusalém é nossa terra", enquanto o senador por Illinois estava perto do muro, uma relíquia do antigo templo judeu destruído durante o domínio romando, há quase 2 mil anos.

Obama garantiu a Israel e a seus simpatizantes judeus na quarta-feira que ele é um amigo que não vai pressionar por concessões nas negociações de paz com os palestinos, caso estas comprometam a segurança do país.

Chamando Israel de "milagre", ele prometeu forte apoio ao país e teve somente um encontro informal com os líderes palestinos na Cisjordânia.

No mês passado, Obama decepcionou os palestinos, quando disse que Jerusalém deve ser a capital "indivisível" de Israel. Israel tomou o lado leste de Jerusalém em 1967, incluindo a cidade antiga, onde fica o Muro das Lamentações. Os palestinos querem que o local seja a capital de seu futuro Estado.

Obama disse mais tarde que "se expressou mal".

Ele chegou na quinta-feira à Alemanha, onde faz o único discurso público em sua viagem de uma semana. O discurso, ao ar livre, abordará as relações internacionais e deve atrair dezenas de milhares de pessoas.

Bastante popular na Alemanha, onde frequentemente é comparado ao ex-presidente norte-americano John F. Kennedy, Obama também se encontra com a chanceler Angela Merkel, que se opôs ao plano inicial de Obama de discursar no Portão de Brandemburgo.

Obama vai então discursar na "Coluna Vitória" do parque central de Tiergarten, que dá de frente para o portão, local que ficou atrás do muro de Berlim por décadas como símbolo da guerra fria.

(Por Caren Bohan)

 
<p>Barack Obama aso colocar sua prece no Muro das Lamenta&ccedil;&otilde;es, em Jerusal&eacute;m. Photo by Jim Young</p>