Desemprego tem leve queda e reforça patamar abaixo de 8%

quinta-feira, 24 de julho de 2008 11:44 BRT
 

Por Rodrigo Viga Gaier

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A taxa de desemprego no Brasil caiu levemente em junho, marcado a quarta queda seguida e reforçando a chegada a um novo patamar de ocupação no mercado de trabalho.

A taxa de desocupação nas seis principais regiões metropolitanas do país ficou em 7,8 por cento no mês passado, ante 7,9 por cento em maio, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quinta-feira.

"A taxa de desemprego só não caiu mais porque houve um aumento da procura que não foi plenamente atendida", afirmou Cimar Pereira, economista do IBGE.

Pelos cálculos do instituto, a taxa de desocupação do ano deve ficar abaixo da registrada em 2007, mas a superação do recorde de 7,4 por cento --registrado em dezembro do ano passado-- pode não acontecer, por conta da alta do juro e da inflação, disse Cimar Pereira.

Com o resultado de junho, o desemprego encerrou o primeiro semestre com uma taxa média de 8,3 por cento --a mais baixa da série para o período--, ante 9,9 por cento na primeira metade de 2007.

"O fechamento menor esse ano está quase confirmado... a situação tem que piorar muito no segundo semestre para esse quadro se reverter", disse Pereira.

"O mercado de trabalho está absorvendo trabalhadores e a ocupação está aumentando. A procura está sendo atendida esse ano", acrescentou.

A alta da inflação provocou a segunda queda consecutiva do rendimento mensal dos trabalhadores empregados, mostraram os dados do IBGE. Na comparação anual, o ritmo de crescimento está desacelerando.

"A inflação é a principal explicação para esse movimento. Além disso, tem mais gente no mercado e os dissídios não foram tão bons", afirmou Pereira.

O rendimento encerrou o primeiro semestre em 1.220,94 reais, ante 1.193,57 reais no mesmo período de 2007. O crescimento foi de 2,3 por cento entre o primeiro semestre de 2007 e 2008, após avançar 4,4 por cento de 2006 para 2007.