BOLSA EUA-Temor com recessão derruba ações em Wall Street

sexta-feira, 24 de outubro de 2008 13:24 BRST
 

Por Leah Schnurr

NOVA YORK, 24 de outubro (Reuters) - As bolsas de valores dos Estados Unidos amargavam fortes quedas nesta sexta-feira, dando sequência a uma rodada de desvalorização dos mercados acionários iniciada na Ásia, diante dos sinais de que a desaceleração econômica mundial pode ser mais profunda do que o temido até agora.

As quedas foram impulsionadas pelo movimento de venda de ativos de maior risco e preocupações com o cenário negativo para os ganhos corporativos.

À medida que as instituições eram forçadas a vender ações para fazer dinheiro, os mercados tombaram pelo globo. O índice MSCI de ações no mundo .MIWD00000PUS caía 6,5 por cento, refletindo o movimento de investidores apavorados liquidando posições em ativos mais arriscados. A bolsa de valores de Tóquio .N225 encerrou o pregão com queda de 10 por cento. As ações na Europa perdiam mais de 7 por cento.

A IBM (IBM.N: Cotações) registrava a maior queda entre as ações que compõem o Dow Jones .DJI, cedendo 4,9 por cento. Microsoft (MSFT.O: Cotações) tinha desvalorização de 3,6 por cento, depois de ter cortado sua perspectiva na noite da véspera.

Às 13h23 (horário de Brasília), o índice Dow Jones .DJI tinha queda de 2,75 por cento, a 8.450 pontos. O Standard & Poor's 500 .SPX registrava desvalorização de 2,77 por cento, a 882 pontos. O Nasdaq .IXIC declinava 2,42 por cento, a 1.565 pontos.

As perdas de ações eram exacerbadas pela venda forçada de ações por hedge funds e fundos mútuos para levantar dinheiro para satisfazer os resgates de investidores em larga escala, disseram analistas.

Antes de o mercado abrir, os índices futuros caíram tão fortemente que tiveram de ser congelados depois de atingirem o limite mínimo. As perdas da abertura não foram tão severas quanto os investidores temiam.

"A questão é: teremos um circuit breaker e vamos cair 10 por cento?", disse Saluzzi. "É nisso que as pessoas estão prestando a atenção. Há muito, muito nervosismo lá fora."

O índice Dow Jones teria de cair 1.100 pontos, ou 10 por cento, antes das 16h (horário de Brasília), para ser paralisado por uma hora. Entre 16h e 16h30, as negociações seriam paradas por 30 minutos, e se acontecer depois das 16h30 não haverá paralisação.

No caso de uma desvalorização de 2.200 pontos, ou 20 por cento, antes das 15h (horário de Brasília), as negociações seriam paradas por duas horas. Entre 15h e 16h, as negociações seriam paralisadas por uma hora, e uma queda desta proporção depois das 16h causaria o fechamento do mercado.