24 de Outubro de 2008 / às 17:37 / 9 anos atrás

ATUALIZA-Demanda cai, mas Vale só vende para China com aumento

(Texto atualizado com mais detalhes e declarações)

Por Raymond Colitt

BRASÍLIA, 24 de outubro (Reuters) - A Vale informou nesta sexta-feira que a demanda chinesa por metais e minerais está em forte queda, mas que não vai desistir do aumento no preço do minério de ferro que pediu há algumas semanas a seus clientes na Ásia.

A mineradora brasileira, maior exportadora mundial de minério, informou que só vai embarcar o produto para siderúrgicas chinesas que aceitarem o reajuste de 12 por cento.

"A demanda chinesa está muito mais fraca; há reduções na produção de aço lá", disse o diretor financeiro, Fabio Barbosa, em teleconferência com investidores.

"Enfrentamos agora um novo cenário global", completou.

Mas ele destacou que a Vale (VALE5.SA), maior produtora de minério de ferro do mundo, vai insistir no aumento de 12 por cento para os asiáticos. A empresa alega que o reajuste nivelaria os custos da Ásia aos valores pagos atualmente pelos europeus, mas muitas siderúrgicas chinesas protestaram.

A China é o principal mercado da Vale para minério de ferro e pelotas.

A Vale acha que outras empresas de minério de ferro irão vender a preços mais baixos, mas Barbosa afirmou que não vê uma situação em que uma oferta excessiva de minério se sustente.

"Alguns produtores ineficientes estarão fora do mercado em alguns meses, no ano em que vamos renegociar o preço em um novo ambiente", disse Barbosa.

A Vale anunciou na quinta-feira que o seu lucro quase triplicou no terceiro trimestre do ano e atingiu recorde de 12,4 bilhões de reais, contra 4,65 bilhões de reais registrados há um ano. [ID:nN24499329]

A empresa, de acordo com o presidente-executivo, Roger Agnelli, pode resistir por algum tempo.

"Não estamos pressionados para vender nossos produtos a qualquer preço", disse Agnelli.

O executivo espera uma recessão bastante profunda de 6 a 10 meses, e Barbosa afirmou que a demanda chinesa deve começar a se recuperar no primeiro semestre de 2009.

"Os fundamentos a longo prazo estão fortes, estamos em uma pausa", disse ele.

A desaceleração econômica também oferece oportunidades, de acordo com Agnelli.

"Com certeza no futuro veremos muitos ativos depreciados que podemos analisar para ver se eles se encaixam em nossa estratégia", disse Agnelli.

"Se eles adicionarem valor aos nossos acionistas, estamos prontos para agir", disse ele, explicando que aquisições não são atualmente uma prioridade para a empresa.

Nesta semana a Vale negou rumores de que estaria preparando uma nova proposta para adquirir uma participação na rival Xstrata XTA.L.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below