Em 2 cidades,pedidos de portabilidade fixa superam as de celular

quarta-feira, 24 de setembro de 2008 15:38 BRT
 

SÃO PAULO, 24 de setembro (Reuters) - Os pedidos de portabilidade numérica, recurso que permite mudar de operadora e manter o número da linha, ainda são, na maioria dos casos, de assinantes de celular, mas em duas cidades a telefonia fixa passou registrar mais infidelidade de clientes nesta semana.

Segundo dados divulgados pela entidade administradora da portabilidade, a ABR Telecom, a telefonia móvel ainda responde por cerca de 60 por cento dos pedidos registrados até agora, até porque a base de clientes da telefonia celular é muito maior que a de linhas fixas.

Em duas cidades, entretanto -- Goiânia e Londrina -- os pedidos para trocar de operadora por clientes de telefonia fixa superaram os de telefone móvel. Goiânia faz parte da área de concessão da Brasil Telecom BRTP4.SA, enquanto Londrina é região original da Sercomtel.

Goiânia registrou, até esta segunda-feira, 2.903 pedidos de portabilidade de clientes da telefonia fixa, enquanto os usuários de celular registraram 2.755 solicitações.

Em Londrina, a diferença é de apenas um assinante, com o registro, até o momento, de 1.766 clientes de telefonia fixa. As duas cidades concentram o maior número de pedidos entre as oito em que o recurso já existe.

Com 22 dias de implantação da portabilidade em oito códigos de numeração --que incluem ainda cidades de Minas Gerais, São Paulo, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul e Piauí-- o Brasil registrou 17.979 pedidos de mudança de operadora sem alteração de número da linha, dos quais 10.747 são de clientes de celular.

O número total representa algo como 10 por cento da base de clientes envolvida nessa primeira etapa da portabilidade, iniciada em 1o de setembro.

O Brasil fechou o mês de agosto com 138,4 milhões de assinantes de celular, ante os 40,17 milhões de linhas fixas em serviço.

Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) 2007 divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 31,6 por cento dos domicílios brasileiros só dispõem de telefone celular.

A próxima etapa da portabilidade começa a partir de 3 de novembro, quando 18 novos códigos de numeração vão permitir o recurso aos assinantes de telefonia fixa e móvel. Pelo cronograma da Anatel, todo o país estará coberto até março de 2009.

(Por Taís Fuoco, Edição de Alberto Alerigi Jr.)