Otimismo com setor de seguros anima bolsas da Ásia

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008 08:18 BRT
 

Por Rafael Nam

HONG KONG (Reuters) - As bolsas de valores da Ásia tiveram uma segunda-feira de alta, com o índice japonês Nikkei registrando a maior valorização em seis semanas depois que rumores sobre auxílio a uma resseguradora de títulos norte-americana afastaram temores sobre perdas relacionadas ao crédito no setor financeiro.

Às 8h05, o índice MSCI que reúne bolsas da região Ásia-Pacífico exceto Japão subia para 1,08 por cento, a 477 pontos, puxado por ações do setor financeiro como o australiano Macquarie Group e o sul-coreano Shinhan Financial Group.

A bolsa de TÓQUIO fechou em alta de 3,07 por cento, aos 13.914 pontos, com a ajuda de seguradoras como a Millea Holdings. Foi a maior fechamento desde 15 de janeiro.

Contudo, os medos de recessão continuaram em pauta, pressionando o dólar, com temores geopolíticos sobre Irã e Turquia deixando o preço do barril do petróleo acima dos 99 dólares.

Analistas alertaram que as ações na Ásia podem continuar sob pressão, dada a incerteza do que pode ainda existir de surpresa para os mercados abatidos pelas baixas contábeis decorrentes da crise de crédito.

"É impossível determinar quando será o fim disso", afirmou Eric Betts, estrategista na Nomura Australia.

"Primeiro, foram as hipotecas de alto risco (subprime), depois os diversos bancos de investimentos, e agora as seguradoras. Provavelmente isso deve passar por toda a cadeia."

Na Coréia do Sul, a bolsa de SEUL subiu 1,3 por cento, com a posse do ex-empresário Lee Myung-bak na Presidência do país. Enquanto isso, SYDNEY avançou 1,1 por cento, a 5.621 pontos.   Continuação...

 
<p>As bolsas de valores da &Aacute;sia tiveram uma segunda-feira de alta, com o &iacute;ndice japon&ecirc;s Nikkei registrando a maior valoriza&ccedil;&atilde;o em seis semanas depois que rumores sobre aux&iacute;lio a uma resseguradora de t&iacute;tulos norte-americana afastaram temores sobre perdas relacionadas ao cr&eacute;dito no setor financeiro. Photo by Kim Kyung-Hoon</p>