Fed mantém juro e mostra mais receio com inflação

quarta-feira, 25 de junho de 2008 16:07 BRT
 

Por Mark Felsenthal

WASHINGTON (Reuters) - O Federal Reserve decidiu deixar inalterada a taxa de juro norte-americana nesta quarta-feira e mostrou que está bastante preocupado com a inflação, dando um pequeno passo na direção de aumentar os custos dos empréstimos nos Estados Unidos.

A decisão tomada pelo Banco Central dos EUA, anunciada ao final de dois dias de reunião, deixou a taxa de juro em 2 por cento.

"Embora os riscos de redução do crescimento continuem, eles parecem ter diminuido de alguma maneira, mas os riscos de alta da inflação e as expectativas inflacionárias aumentaram", afirmou o Fed.

As ações nas bolsas de valores dos EUA subiram, enquanto que os preços dos títulos do governo norte-ameriano caíram após o anúncio, que deu aos investidores sinais contrários sobre o quão rápido o banco central pode elevar os custos dos empréstimos.

"O Fed fez um comunicado moderadamente agressivo, sinalizando que ele pode, atualmente, seguir em frente e elevar a taxa de juro até o fim do ano", afirmou Joe Manimbo, operador de câmbio da Ruesch International em Washington.

No comunicado, o Fed disse que "a atividade econômica, no geral, continua se expandindo". Depois do encontro de 30 de abril, o BC dos EUA havia descrito a atividade econômica como "fraca".

A decisão tomada nesta quarta-feira foi a primeira manutenção de taxa pelo Fed desde que o BC dos EUA embarcou numa série de reduções do juro em setembro, para garantir sustentabilidade para a economia, gravemente atingida pela crise do setor imobiliário e de crédito.

Os formuladores de política monetária no banco central estão em uma difícil encruzilhada. O recuo acentuado do setor de moradias parece que irá carregar consigo o crescimento econômico por meses.

Ao mesmo tempo, os altos preços do petróleo e de outras commodities ameaçam disparar uma inflação mais generalizada.