PANORAMA2-Fed não confirma boato e ações caem com lucros fracos

quinta-feira, 25 de outubro de 2007 19:06 BRST
 

Por Silvio Cascione

SÃO PAULO, 25 de outubro (Reuters) - O possível corte da taxa de redesconto nos Estados Unidos não veio, pelo menos por ora, e os mercados globais voltaram o foco nesta quinta-feira para os balanços corporativos e indicadores sobre a economia norte-americana.

Na quarta-feira, rumores de que o Federal Reserve pudesse mexer nos juros a qualquer momento deu impulso às ações e chegou a repercutir em todo o mundo nesta manhã.

Mas, em meio ao tom negativo na maioria dos relatórios, como da operadora a cabo ComCast (CMCSA.O: Cotações), a Bolsa de Valores de São Paulo acompanhou a fraqueza de Wall Street e fechou em queda de 0,45 por cento.

Dados sobre o setor imobiliário chegaram a dar um respiro para as ações na metade do pregão: segundo o Departamento de Comércio, as vendas de novas moradias nos Estados Unidos cresceram 4,8 por cento em setembro. Mas o fôlego não foi suficiente.

Apesar do dia fraco, a expectativa no mercado brasileiro era com o início dos negócios com as ações da Bovespa, na sexta-feira. O IPO da bolsa paulista, que alcançou cerca de 6,6 bilhões de dólares, é o maior já realizado no país.

A operação tem atraído dólares para o mercado de câmbio, e foi uma das responsáveis pela queda de 0,77 por cento do dólar nesta sessão. Segundo agentes de mercado, a baixa só foi limitada pelo dia ruim nos mercados internacionais.

A falta de novidades na ata da última reunião do Comitê de Política Monetária --quando o Copom interrompeu o ciclo de cortes da taxa básica de juros no país-- ajudou o mercado a fechar com pouca variação nas projeções de juros mais negociadas na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F).

No exterior, o petróleo voltou a mostrar força e renovou os recordes em Londres e em Nova York, onde fechou acima de 90 dólares por barril. A alta da commodity foi provocada pela preocupação do mercado com o fornecimento após a queda inesperada nos estoques norte-americanos, na quarta-feira.   Continuação...