Para Irã, conferência de Annapolis abalará direitos palestinos

domingo, 25 de novembro de 2007 12:40 BRST
 

TEERÃ (Reuters) - O Irã afirmou neste domingo que uma conferência sobre o Oriente Médio organizada pelos Estados Unidos, resultará na erosão dos direitos dos palestinos, pois Washington já mostrou no passado não ser um mediador imparcial.

Os Estados Unidos pretendem relançar as negociações de paz e sobre um Estado palestino na conferência marcada para o dia 27 de novembro em Annapolis, Maryland, que colocará lado a lado árabes e palestinos.

O Irã não reconhece Israel e apóia grupos de militantes islâmicos palestinos e libaneses que se opõem à paz com o Estado judeu e, em outubro, pediram um boicote à reunião.

"Os organizadores da conferência são norte-americanos e experiências passadas mostram que eles não conseguem ser mediadores imparciais e de credibilidade e dão todo apoio aos sionistas", disse o porta-voz do Ministério do Exterior do Irã, Mohammad Ali Hosseini, numa referência a Israel.

"O resultado final dessas conferências levam a mais erosões dos direitos dos palestinos", disse ele em entrevista coletiva.

A Liga Árabe concordou na sexta-feira em comparecer ao encontro na esperança de promover a criação de um Estado palestino e pressionar pela recuperação de territórios que Israel tomou da Síria.

"Essa conferência e o que quer que saia dela não será frutífero se não salvaguardar os direitos dos palestinos", disse o presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, segundo a agência de notícias IRNA.

Líderes iranianos têm defendido um referendo entre todos os palestinos --independente de onde vivam e de qual seja seu histórico religioso-- para decidir o destino do que hoje é Israel e dos territórios palestinos. (Por Reza Derakhshi)