Receita da Reuters cresce 7,6% no 3o trimestre

quinta-feira, 25 de outubro de 2007 10:29 BRST
 

Por Gavin Haycock

LONDRES (Reuters) - A agência de notícias e informações financeiras Reuters divulgou nesta quinta-feira receita no terceiro trimestre de 646 milhões de libras (1,33 bilhão de dólares), crescimento de 7,6 por cento excluindo-se efeitos cambiais e de aquisições. O resultado veio em linha com as expectativas e não mostrou sinais de que o desempenho do grupo tenha sido afetado pela crise nos mercados de crédito.

A média previsões de seis analistas apontava faturamento de 645 milhões de libras, com estimativas entre 640 milhões e 649 milhões de libras.

A companhia informou que as vendas líquidas foram fortes em todas as regiões apesar da recente turbulência dos mercados financeiros globais.

Analistas tinham levantado preocupações de que a crise de crédito pudesse ter afetado negativamente o resultado da Reuters no trimestre. A corretora Numis Securities informou que não houve sinal disso no período, mas tal efeito pode levar tempo para surgir.

"O grupo ainda não experimentou qualquer impacto negativo por conta da turbulência nos mercados de crédito (...) acreditamos que isso pode levar tempo para atingir as receitas", informou a corretora em relatório.

O presidente-executivo da companhia, Tom Glocer, informou que o panorama de vendas do quarto trimestre é "bom como tem sido", com os mercados de corretagem vendo altos volumes e poucos sinais de redução de negócios.

"Estamos no caminho para entregar um tipo de ano que eu já tinha comentado durante a divulgação de resultados de meio de ano", disse Glocer a jornalistas em teleconferência.

A Reuters está sendo vendida para o grupo editorial canadense Thomson .   Continuação...