McCain encontra Dalai Lama e pressiona a China por direitos

sexta-feira, 25 de julho de 2008 21:19 BRT
 

ASPEN, EUA (Reuters) - O candidato republicano à presidência dos EUA, John McCain, pediu nesta sexta-feira à China que se preocupe com os direitos humanos e liberte os prisioneiros tibetanos, após se encontrar com Dalai Lama em Colorado.

"Eu peço que os líderes chineses iniciem conversas e façam progressos com os representantes de sua Santidade sobre a questão do sofrimento do povo tibetano", disse McCain, com Dalai Lama ao seu lado.

"Eu peço ao governo chinês que liberte os prisioneiros políticos tibetanos, considerando os tibetanos que 'desapareceram' desde os protestos de março, e se empenhe em um diálogo significativo e uma autonomia genuína para o Tibete."

O exilado líder tibetano afirmou que McCain mostrou uma "preocupação genuína" pelos direitos humanos, democracia e problemas ambientais em relação à China.

McCain, um senador do Arizona que tem visto a política externa como uma peça chave para sua busca pela Casa Branca, afirmou que as palavras de Dalai Lama não significavam apoio ao candidato republicano.

(Reportagem de Jeff Mason)