25 de Abril de 2008 / às 15:57 / 9 anos atrás

ATUALIZA2-Balança comercial da PETROBRAS fica negativa no 1o tri

(Reescreve texto e acrescenta informações)

Por Denise Luna

RIO DE JANEIRO, 25 de abril (Reuters) - O aumento do consumo de diesel pela área agrícola e termelétricas no primeiro trimestre, assim como o crescimento econômico do país fizeram a Petrobras registrar um déficit de 775 milhões de dólares na sua balança comercial no primeiro trimestre do ano.

De acordo com o diretor de Abastecimento da estatal, Paulo Roberto Costa, a situação deverá ser invertida a partir do final do segundo trimestre do ano, com o aumento de produção da empresa.

"A expectativa é chegar no final de 2008 com valores positivos, com o aumento da produção. Já no final do segundo trimestre, deve reverter e ficar positivo", avaliou Costa em entrevista a jornalistas.

A empresa anunciou, no início de 2007, que havia tornado o Brasil auto-suficiente em petróleo ao produzir tanto quando o consumo, mas admitiu que continuaria importando óleo leve e derivados no mercado internacional enquanto suas refinarias não tivessem capacidade para processar todo o petróleo nacional produzido no país.

Em março, a produção média diária da companhia no Brasil atingiu 1,8 milhão de barris.

De janeiro a março, a empresa exportou 52,147 milhões de barris de petróleo pesado e derivados e importou 52,713 milhões de barris de óleo leve e derivados. Na conta não está incluída a importação de gás natural da Bolívia.

De acordo com o executivo, o saldo neste ano deverá se aproximar do registrado em 2007, quando obteve 72 milhões de dólares positivos, referente a um superávit de 27,05 milhões de barris acumulados no ano. De janeiro a março, o déficit acumulado foi de 626 mil barris.

O diretor rebateu informações de que o saldo no trimestre teria sido ainda mais negativo. Ele explicou que no primeiro trimestre também houve parada para manutenção na refinaria de Paulínia, em Campinas, que refinou apenas metade da sua capacidade de 360 mil barris diários, e que foram retomados em abril.

Com a volta da unidade, Costa prevê que haverá aumento na exportação de gasolina pela empresa, principalmente com o avanço do consumo de álcool no país.

"O aumento da demanda do álcool no mercado interno vai levar a aumentar a exportação de gasolina, principalmente a partir de 2010 quando vamos ter uma gasolina de maior qualidade, com menos enxofre", informou o executivo.

A Petrobras vem investindo em suas refinarias para melhorar a qualidade da gasolina para atingir mercados mais exigentes, como o europeu. Atualmente, a gasolina vendida pela estatal tem como destino os países da América do Sul, América Central, África e Oriente Médio.

Ele informou que recentemente vendeu gasolina para o Irã, onde a empresa também investe em exploração.

Edição de Marcelo Teixeira

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below