Para Alemanha, EUA perderão status de superpotência financeira

quinta-feira, 25 de setembro de 2008 07:31 BRT
 

BERLIM, 25 de setembro (Reuters) - A Alemanha culpou os Estados Unidos na quinta-feira por criar a crise financeira global com uma busca cega por maiores lucros e disse que o país terá agora de aceitar uma maior regulação do mercado e a perda do status de superpotência financeira.

Com um dos tons mais duros desde a piora da crise no início do mês, o ministro alemão das Finanças, Peer Steinbrueck, disse ao Parlamento que as turbulências financeiras deixarão "marcas profundas", mas ressalvou que ela é principalmente um problema norte-americano.

"O mundo nunca mais será como era antes da crise", disse Steinbrueck, vice-líder do centro-esquerdista partido Social-Democrata, à Bundestag, a câmara baixa do Parlamento alemão.

"Os Estados Unidos perderão o status de superpotência no sistema financeiro mundial. O sistema financeiro mundial se tornará mais multi-polar."

Steinbrueck, cujos esforços para conseguir mais transparência dos hedge funds durante o período em que a Alemanha presidiu o G8 no ano passado fracassaram em meio a divergências com EUA e Grã-Bretanha, atacou o que chamou de busca anglo-saxônica por lucros de dois dígitos e enormes bônus para banqueiros e executivos de empresas.

"Banqueiros de investimento e políticos em Nova York, Londres e Washington não estavam dispostos a abrir mão disso", afirmou.

O ministro alemão propôs oito medidas para lidar com a crise, incluindo uma proibição internacional de vendas a descoberto "puramente especulativas" e um aumento nas exigências de capital aos bancos para fazer frente aos riscos de crédito.

(Reportagem de Noah Barkin e Kerstin Gehmlich)