25 de Junho de 2008 / às 19:31 / 9 anos atrás

Empresas brasileiras vão exportar álcool sustentável

Por Inaê Riveras

SÃO PAULO, 25 de junho (Reuters) - Um grupo de empresas brasileiras assinou um acordo para exportar álcool sustentável certificado para a Suécia, o primeiro acordo do tipo no mundo, informaram as companhias na quarta-feira.

Cosan CSAN3.SA, Guarani ACGU3.SA, NovAmérica e Alcoeste concordaram em vender para a sueca Sekab 115 milhões de litros de álcool anidro, produzido com certos padrões sociais e ambientais.

"Essa iniciativa atende preocupações dos consumidores europeus relacionadas à sustentabilidade do álcool", disse Martino Seiiti Ono, diretor da trading SCA, que vai gerenciar as exportações.

"É a primeira aplicação prática do álcool sustentável verificado e um grande passo na direção de concretizar um padrão internacional", disse Ono a repórteres.

As usinas vão receber 5 a 10 por cento mais pelo produto certificado em relação ao álcool similar sem rastreabilidade, disse ele, negando-se a dar mais detalhes.

O acordo será válido por ao menos nove meses, e o primeiro carregamento foi embarcado neste mês.

Entre os padrões exigidos, está tolerância zero para trabalho infantil ou escravo. As usinas têm que usar ao menos 30 por cento de colheita mecanizada hoje e chegar a 100 por cento até 2014.

Uma empresa internacional independente vai auditar todas unidades de produção dos grupos duas vezes por ano.

A produção de álcool sustentável vai resultar em uma redução das emissões de dióxido de carbono dos trabalhos na fazenda, produção e transporte para a Suécia em ao menos 85 por cento na comparação com o petróleo, disse Anders Fredikson, vice-presidente do Sekab.

"Há muitas notícias sobre trabalho forçado no Brasil e também questões ecológicas, desmatamento da floresta, poluição local... Estamos no negócio e sabemos que muitas são exageradas, algumas são falsas", disse Fredikson.

"Mas o público em geral (na Suécia) não sabe no que acreditar e compra o biocombustível por motivos éticos... portanto é importante garantir sua sustentabilidade".

Ele explicou que os carros flex, que normalmente são abastecidos com E85 na Suécia, respondem por 25 por cento de todos os novos carros vendidos. O consumo de álcool no país vai ultrapassar o da gasolina em oito anos se a tendência se mantiver.

A Suécia consome cerca de 800 milhões de litros de álcool por ano e ao menos metade dessa quantia é fornecida pelo Brasil.

Ao menos 10 grupos em todo o mundo estão discutindo padrões de sustentabilidade para o álcool e um critério de certificação que poderia ser adotado em todo o mundo, mas ainda não foi tomada nenhuma decisão.

Cerca de 90 por cento das usinas do Estado de São Paulo, o maior em produção de cana, assinaram um contrato com o governo estadual para acabar com a queima da cana até 2014. Um acordo similar em âmbito nacional tem sido discutido com o governo federal.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below