RPT-Ações da Merrill caem, analistas prevêem mais perdas

quinta-feira, 25 de outubro de 2007 16:37 BRST
 

Por Tim McLaughlin

NOVA YORK, 25 de outubro (Reuters) - Analistas de Wall Street, pegos de surpresa por uma baixa contábil de 8,4 bilhões de dólares do Merrill Lynch MER.N, mostraram-se pessimistas nesta quinta-feira, e alguns deles previram outro grande golpe nos negócios relacionados a hipotecas da companhia.

William Tanona, analista do Goldman Sachs, estimou que o Merrill Lynch pode registrar 4,5 bilhões de dólares em baixas contábeis no trimestre atual sobre sua exposição remanescente de 20,9 bilhões de dólares ligados a colaterais de dívidas e concessões de hipotecas de alto risco.

O banco de investimentos também retirou a recomendação de compras para as ações do Merrill, notando que os papéis da empresa caíram 24 por cento desde que foram acrescentadas à lista Americas Buy, do Goldman, em abril. O índice de referência, o Standard & Poor's 500 .SPX, teve alta acumulada de 6,4 por cento no período.

As ações do Merrill caíam ainda mais na sessão desta quinta-feira, deslizando 5,09 por cento para 60 dólares na bolsa de Nova York às 16h23. A desvalorização ocorre um dia após a empresa divulgar sua baixa contábil inesperadamente elevada, resultado principalmente de investimentos equivocados no mercado imobiliário de alto risco, o chamado subprime.

O banco de investimento também divulgou um prejuízo de 2,3 bilhões de dólares, a maior perda trimestral em sua história. As ações acumulam baixa de 34 por cento no ano.

Brad Hintz, analista da Bernstein Research que já chegou a classificar a exposição do Merrill Lynch no mercado imobiliário de alto risco como relativamente limitada se comparada a outros concorrentes, rebaixou a classificação acionária para "desempenho de mercado" e perguntou "que gerenciamento de risco?" em seu mais recente relatório.

"A equipe de gerenciamento (de risco) do Merrill se esquivou das perguntas vindas da comunidade investidora, enquanto parabeniza ela mesma por melhorar suas divulgações após registrar uma grande perda", disse Hintz, descrevendo a teleconferência da companhia.

"Estaria o Merrill com medo de que o resto de Wall Street roubaria os segredos da empresa de cobertura à exposição de colateral de dívida e controle de risco? Nós achamos que não", escreveu Hintz.   Continuação...