Petróleo nos EUA atinge recorde com Líbia, Opep e dólar fraco

quinta-feira, 26 de junho de 2008 18:20 BRT
 

NOVA YORK (Reuters) - Os preços do petróleo nos Estados Unidos saltaram para um novo recorde nesta quinta-feira, impulsionados por notícias de que a Líbia está avaliando um corte de sua produção e um dólar fraquejante.

Um comentário do presidente da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) de que os preços podem subir para até 170 dólares por barril nos próximos meses também alimentou a alta da sessão.

"Nós apenas rompemos o nível que tínhamos no dia", disse Tom Bentz, analista da BNP Paribas Commodity Futures.

"O dólar também esteve perto das mínimas do dia", acrescentou ele.

A maior autoridade do petróleo da Líbia, Shokri Ghanem, afirmou nesta quinta-feira que o país não tem planos concretos para reduzir sua produção, mas está estudando a possibilidade em resposta às ameaças dos Estados Unidos contra os países produtores de petróleo.

No sábado, Ghanem disse à Reuters que "alguns países podem pensar em aumento da produção, mas alguns países podem pensar em cortes da produção". Na Nymex, o contrato agosto fechou em forte alta de 5,09 dólares, ou 3,78 por cento, a 139,64 dólares por barril, após ser negociado entre 133,68 e 140,39 dólares por barril.

A máxima da sessão apagou o antigo pico de 139,89 dólares registrada em 16 de junho e o fechamento bateu a alta anterior de 138,54 dólares em 6 de junho.

Em Londres, o contrato agosto do petróleo tipo Brent subiu 5,50 dólares, ou 4,01 por cento, a 139,83 dólares, operando entre 133,52 e o novo recorde a 140,56 dólares.

(Reportagem de Gene Ramos e Robert Gibbons)