26 de Outubro de 2007 / às 10:17 / 10 anos atrás

PANORAMA1-Em dia fraco, cautela deve predominar nos mercados

Por Vanessa Stelzer

SÃO PAULO, 26 de outubro (Reuters) - Os mercados domésticos encerram a semana no mesmo tom de seu início: cautela com o futuro da economia dos Estados Unidos e atenção extrema a todo resultado corporativo ou dado econômico que possa trazer alguma luz sobre o impacto e a extensão da crise imobiliária. E as expectativas não são muito boas.

A agenda é fraca, aqui dentro e lá fora, mas dois relatórios receberão leituras ávidas dos investiores: o balanço da Countrywide Financial CFC.N referente ao terceiro trimestre e a confiança do consumidor norte-americano em outubro.

Analistas esperam que a maior concessora de hipotecas dos Estados Unidos divulgue um forte prejuízo --entre 700 milhões e 1,8 bilhão de dólares. A expectativa para o dado de confiança é de queda para 82,0 pontos.

“Como não tem dados que sejam dos mais relevantes, o investidor fica mais nos desdobramentos da crise imobiliária”, disse Flávio Serrano, economista-chefe da López León Markets.

“E aí, qualquer empresa que mostre resultados ruins no terceiro trimestre vai remeter à crise, que começou no terceiro trimestre. O mesmo acontece com os dados (econômicos) do período.”

Nesta semana, muitos resultados corporativos decepcionaram os investidores, assim como muitos indicadores sobre a economia, o que levou a especulações de um corte na taxa de redesconto pelo Federal Reserve.

Somando-se a esse cenário delicado, o investidor brasileiro tem mais uma coisa para olhar. O petróleo, um dos itens citados pelo Comitê de Política Monetária (Copom) como motivo de cautela, bateu novos recordes na véspera. Em Nova York, a commodity rompeu novamente a marca dos 90 dólares o barril.

“Preocupa, mas o BC já disse que mesmo o petróleo estando alto, é bem plausível que os preços (dos combustíveis domésticos) fiquem estáveis”, acrescentou Serrano.

A agenda doméstica conta apenas com a divulgação do IPC-Fipe referente à terceira quadrissemana do mês, que registrou uma leve desaceleração. [ID:nN26299898]

Para ver a agenda desta sexta-feira, clique [nN26287602]

Veja como encerraram os principais mercados na quinta-feira:

CÂMBIO BRBY

O dólar terminou a 1,795 real, em queda de 0,77 por cento. O volume do segmento interbancário foi de 2,942 bilhões de dólares.

BOLSA .BVSP

O Ibovespa recuou 0,45 por cento, para 62.341 pontos. O volume financeiro na bolsa foi de 3,3 bilhões de reais.

ADRs BRASILEIROS .BR20

O índice de principais ADRs brasileiros fechou em alta de 0,20 por cento, aos 35.439 pontos.

JUROS <0#2DIJ:>

Na BM&F, os contratos de depósito interfinanceiro (DI) com vencimento em janeiro de 2010, os mais negociados do pregão, ficaram estáveis em 11,70 por cento, enquanto o DI janeiro de 2009 subiu para 11,50 por cento.

GLOBAL 40 BRAGLB40=RR

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, avançava para 134,250 por cento do valor de face no início da noite; oferecendo rendimento de 5,53 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS 11EMJ

No final da tarde, o risco Brasil recuou para 175 pontos-básicos. O EMBI+ estava em 202 pontos-básicos.

BOLSAS DOS EUA

O índice Dow Jones .DJI teve variação negativa de 0,02 por cento, a 13.671 pontos. O Nasdaq .IXIC caiu 0,86 por cento, para 2.750 pontos e o índice S&P 500 .SPX exibiu leve queda de 0,10 por cento, aos 1.514 pontos.

TREASURIES DE 10 ANOS US10YT=RR

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, caía e o rendimento avançava para 4,38 por cento no início da noite.

Reportagem adicional de Renato Andrade e Rodolfo Barbosa

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below