BOVESPA-Crise chega ao Brasil via Sadia e Aracruz e ações caem

sexta-feira, 26 de setembro de 2008 18:14 BRT
 

(Texto atualizado com mais informações e números oficiais de fechamento da bolsa)

Por Aluísio Alves

SÃO PAULO, 26 de setembro (Reuters) - Sadia e Aracruz abriram a temporada de perdas diretas de empresas brasileiras com a crise financeira internacional, acrescentando dose adicional de pessimismo aos negócios na Bolsa de Valores de São Paulo.

Com isso, o Ibovespa .BVSP caiu 2,02 por cento, para 50.782 pontos, na contramão de Wall Street. O giro financeiro do pregão somou 5,1 bilhões de reais.

Para profissionais do mercado, os prejuízos anunciados com apostas equivocadas no mercado de derivativos -- 760 milhões de reais da Sadia e os ainda não mensurados da Aracruz -- derreteram a confiança dos investidores em relação à pretensa imunidade das empresas domésticas em relação à crise global.

"O mercado foi ferido por essas notícias", disse Ricardo Tadeu Martins, gerente de pesquisa da corretora Planner.

A resposta do mercado foi eloquente. Sadia SDIA4.SA teve uma derrocada de 35,5 por cento, para 6 reais. Aracruz ARCZ6.SA foi a segunda pior do Ibovespa, desabando 16,8 por cento, valendo 7 reais. "O problema não é só a perda em si, mas a sinalização de que as empresas têm falhas na gestão de riscos", disse Martins.

Durante todo o dia, o temor de que outras companhias possam ter manchado seus resultados ao usar o mercado financeiro equivocadamente para apostar em vez de apenas se proteger de oscilações cambiais, contaminou os negócios.   Continuação...