ONU: cresce oferta de droga em área rebelde do Afeganistão

quinta-feira, 26 de junho de 2008 14:23 BRT
 

Por Louis Charbonneau

NAÇÕES UNIDAS (Reuters) - A oferta de drogas sofreu um aumento significativo em regiões do Afeganistão e da Colômbia controladas por rebeldes, ajudando a financiar suas atividades, informou nesta quinta-feira a Organização das Nações Unidas (ONU).

Enquanto o cultivo de papoula para obtenção de ópio ficou estável ou diminuiu em muitas partes do Afeganistão, cinco regiões ao sul do país, controladas por militantes do Taliban, produziram papoula suficiente para dobrar a produção mundial de ópio entre 2005 e 2007, de acordo com Relatório Mundial sobre Drogas 2008, divulgado pelo Escritório das Nações Unidas contra Drogas e Crime (UNODC).

No Brasil, segundo maior mercado de cocaína das Américas (com cerca de 870 mil usuários), o consumo dessa droga aumentou, ao contrário da tendência registrada em "boa parte planeta". A prevalência anual (uso pelo menos uma vez no último ano) passou de 0,4 por cento da população entre 12 e 65 anos em 2001, para 0,7 em 2005, segundo dados do governo.

Na Colômbia, o cultivo de coca aumentou 27 por cento em 2007, apesar de a plantação da folha de coca e a produção de cocaína estarem concentradas em 10 dos 195 municípios do país, acrescentou o UNODC.

"Na Colômbia, assim como no Afeganistão, as regiões onde a maior parte da coca é cultivada estão sob controle de insurgentes", disse Antonio Maria Costa, diretor-executivo do UNODC, em comunicado.

"No futuro, nós precisamos ser ainda mais pró-ativos", acrescentou.

Sobre o Brasil, o relatório mostrou ainda aumento de atividades de grupos ligados ao tráfico de cocaína na Região Sudeste, "o que pode indicar que há mais cocaína disponível nessas áreas". Segundo o documento, Sudeste e Sul são as áreas do país mais afetadas pelo consumo dessa droga.

O Afeganistão foi novamente o maior produtor mundial de heroína no ano passado, enquanto a Colômbia foi o principal produtor de cocaína.   Continuação...