Condição de credor é "segundo grito da independência", diz Lula

terça-feira, 26 de fevereiro de 2008 14:57 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta terça-feira que o Brasil deu "seu segundo grito da independência" ao se tornar credor internacional.

Na semana passada, o Banco Central anunciou que o país se tornara pela primeira vez na história credor externo, e na segunda-feira divulgou que os ativos do país no exterior superaram os passivos em 7 bilhões de dólares.

Em discurso na inauguração de uma fábrica de pneus da Michelin, na zona oeste do Rio, Lula destacou a conquista e o trabalho do governo para chegar ao fato inédito.

"Preparamos a casa para o segundo grito da independência", disse Lula. "O primeiro passo foi dado com o aperto fiscal e monetário de 2003 e o segundo passo foi o pagamento da dívida de 15,9 bilhões de dólares com o FMI." Lula considera que o Brasil ganha credibilidade no mundo financeiro internacional, endossando a avaliação do ministro da Fazenda, Guido Mantega, de que a mudança de patamar deixa o país mais próximo do grau de investimento.

"Hoje, com muita humildade, podemos transitar no mundo de cabeça em pé, mas não de nariz em pé. Não queremos ser maior ou menor que ninguém, queremos ser respeitados e decidir o que queremos e quando queremos", disse Lula, acrescentando que o país tem muitos palpiteiros e que "os analistas econômicos quebraram a cara nos últimos anos".

O presidente ressaltou que a condição econômica do Brasil permite ao país enfrentar sem sobressaltos a crise dos Estados Unidos. Lula voltou a condenar a crise como ambição de especuladores.

"A crise americana foi de especulação e do sistema financeiro que tentou ganhar dinheiro fácil. Os bancos achavam que poderiam especular com títulos e quebraram a cara. Quantas vezes o Citibank dizia que sabia o que era bom ou ruim para o Brasil e tomou na cara 10 bilhões de dólares", afirmou, referindo-se ao maior prejuízo da história do banco norte-americano, reportado em meados de janeiro.

"Fizemos como a formiguinha, enquanto alguns cantarolavam nós comprávamos dólar para enfrentar esta e outras crises", disse Lula

(Reportagem de Rodrigo Viga Gaier, Edição de Mair Pena Neto)

 
<p>Condi&ccedil;&atilde;o de credor &eacute; 'segundo grito da independ&ecirc;ncia', diz Lula. O presidente Luiz In&aacute;cio Lula da Silva afirmou nesta ter&ccedil;a-feira que o Brasil deu 'seu segundo grito da independ&ecirc;ncia' ao se tornar credor internacional. 25 de fevereiro. Photo by Jamil Bittar</p>