Fluxo positivo menor deve tornar real mais volátil em 2008

quarta-feira, 26 de dezembro de 2007 14:17 BRST
 

Por Silvio Cascione

SÃO PAULO (Reuters) - A enxurrada de dólares para o Brasil vai diminuir em 2008, enfraquecendo a tendência de queda da moeda norte-americana frente ao real e aumentando a volatilidade do mercado, segundo analistas.

As projeções para o final do ano, porém, variam por conta das incertezas sobre a crise global de crédito e a possibilidade de uma recessão nos Estados Unidos.

"Com a deterioração do balanço de pagamentos e a maior aversão a risco no mercado internacional vamos ter um mercado menos favorável em relação ao câmbio", previu Jankiel Santos, economista do ABN Amro Real.

A poucos dias do ano novo, o dólar era cotado ao redor de 1,78 real, com baixa de mais de 16 por cento em 2007. A projeção do mercado no começo do ano, segundo o Banco Central, era de dólar a 2,20 reais no fim de dezembro.

O principal fator por trás da queda do dólar foi o ingresso extraordinário de recursos no país. Dados do BC mostram que o fluxo cambial caminha para terminar o ano com saldo positivo de cerca de 90 bilhões de dólares, muito mais do que o recorde anterior de 37 bilhões de dólares estabelecido em 2006.

O próprio BC já espera para 2008 o primeiro déficit anual desde 2002 nas transações correntes. Isso vai afetar o fluxo, mesmo que a conta financeira --que inclui o investimento estrangeiro direto e as operações em bolsa-- continue no azul.

Para Roberto Padovani, economista do banco WestLB do Brasil, "é razoável trabalhar com algo como 35 bilhões de dólares (de fluxo positivo)", o que vai tirar força da tendência de apreciação do real.

"Neste ano, o dólar saiu de (cerca de) 2,15 (reais) e foi para (perto de) 1,75... No ano que vem não vejo esse espaço todo. Talvez caia, no máximo, uns 15 centavos."   Continuação...